Sociedade Brasileira de Dermatolodia Surgical & Cosmetic Dermatology

GO TO

ISSN-e 1984-8773

Volume 3 Número 4


Voltar ao sumário

 

Artigos Originais

Resultado de 360 dias de uso de suplemento oral à base de proteína marinha, acerola concentrada, extrato de semente de uva e extrato de tomate em mulheres portadoras de envelhecimento cutâneo

Treating cutaneous photoaging in women with an oral supplement based on marine protein, concentrated acerola, grape seed extract and tomato extract, for 360 days


Adilson Costa1, Elisangela Samartin Pegas Pereira1, Raquel Fávaro1, Margareth de Oliveira Pereira1, Paula Luz Stocco1, Elvira Cancio Assumpção1, Fernanda Sayuri Ota1, Stephanie Selma Barros Langen1

Coordenador dos setores de Acne,
Cosmiatria, Dermatologia na Gravidez,
Vitiligo e Pesquisa Clínica em
Dermatologia do Serviço de Dermatologia
da Pontifícia Universidade Católica de
Campinas (PUC-Campinas) - Campinas
(SP), Brasil.1, Coordenadora dos ambulatórios de
Fototerapia, Urticária e Hanseníase da
Pontifícia Universidade Católica de
Campinas (PUC-Campinas) - Campinas
(SP), Brasil.2, Especializanda de primeiro ano de
dermatologia do Serviço de Dermatologia
da Pontifícia Universidade Católica de
Campinas (PUC-Campinas) - Campinas
(SP), Brasil.3, Especializanda de primeiro ano de
dermatologia do Serviço de Dermatologia
da Pontifícia Universidade Católica de
Campinas (PUC-Campinas) - Campinas
(SP), Brasil.3, Estagiária de pesquisa clínica em
dermatologia do KOLderma Instituto de
Pesquisa Clínica Ltda – Campinas (SP), Brasil.5, Especializanda do segundo ano de
dermatologia do Serviço de Dermatologia
da Pontifícia Universidade Católica de
Campinas (PUC-Campinas) - Campinas
(SP), Brasil.6, Especializanda do segundo ano de
dermatologia do Serviço de Dermatologia
da Pontifícia Universidade Católica de
Campinas (PUC-Campinas) - Campinas
(SP), Brasil.6, Especializanda do segundo ano de
dermatologia do Serviço de Dermatologia
da Pontifícia Universidade Católica de
Campinas (PUC-Campinas) - Campinas
(SP), Brasil.6

Recebido em 01/10/2011
Aprovado em 03/11/2011

Trabalho realizado no KOLderma Instituto de
Pesquisa Clínica Ltda. – Campinas (SP), Brasil.

Suporte Financeiro: Todos os gastos referentes
ao estudo foram assumidos pela empresa
Ferrosan do Brasil Ltda. - São Paulo (SP), Brasil
Conflito de Interesses: Nenhum

Correspondência:
Adilson Costa
Rua Original, 219
05435-050 – São Paulo – SP
Tel.: (11) 30341170
E-mail: adilson_costa@hotmail.com

 

Resumo

Introdução: O envelhecimento cutâneo atinge ou atingirá todas as pessoas, e seu tratamento representa um desafio clínico.
Objetivo: Avaliar efeitos cutâneos do uso de um suplemento oral a base de proteína marinha, acerola concentrada e extratos de semente de uva e tomate por 360 dias em portadoras de fotoenvelhecimento cutâneo.
Métodos: Quarenta e cinco voluntárias usaram dois comprimidos diários do referido suplemento por 360 dias consecutivos. Avaliações clínicas (por parte dos investigadores e das voluntárias), ultrassonográficas e fotográficas foram realizadas a cada 30 dias.
Resultados: Trinta e três voluntárias (73,3%) concluíram o estudo. A melhora clínica foi evidenciada pelos investigadores e voluntárias após 30 dias de uso do suplemento oral, o que resultou em ganho estatístico ao longo do tempo (p<0,05). Após 330 dias, constatou-se a tendência à estabilização dos resultados (p=0,05). Pela análise ultrassonográfica, percebeu-se aumento na densidade dérmica das áreas fotoexpostas (132,3%; p<0,001) e das fotoprotegidas (51,9%; p=0,001). Encontraram-se melhorias estatisticamente significativas nos quesitos rugas, linhas finas, melanoses solares, outras hipercromias, eritema, hidratação, viço, oleosidade, suavidade ao toque e aparência geral da pele através da análise médica; segundo a autoavaliação das voluntárias, obteve-se melhoria no padrão das rugas, linhas finas, melanoses solares, outras hipercromias, eritema, hidratação, viço, oleosidade, suavidade ao toque e aparência geral da pele.
Conclusão: O uso de suplementação oral à base de proteína marinha, acerola concentrada e extratos de semente de uva e tomate por longo prazo (360 dias) mostra-se boa abordagem sistêmica adjuvante para o fotoenvelhecimento cutâneo.

Palavras-chave: ENVELHECIMENTO DA PELE, SUPLEMENTOS DIETÉTICOS, VITAMINA C, EXTRATO DE SEMENTE DE UVA

INTRODUÇÃO

O processo de envelhecimento cutâneo em humanos é complexo e induzido por múltiplas causas, estando entre elas fatores ambientais e genéticos. 1-4 A exposição à radiação UV, principal fator ambiental, resulta em alterações morfológicas principalmente na derme, e em áreas fotoprotegidas a mudança morfológica mais pronunciada ocorre na epiderme. 3 A pele fotoprotegida apresenta-se fina e com rugas delicadas (envelhe- cimento intrínseco). Em contrapartida, a pele exposta ao sol é caracterizada por rugas profundas, bem demarcadas e aparência grosseira com pigmentação mosqueada (fotoenvelhecida). 1-4

O envelhecimento cutâneo intrínseco é determinado por fatores genéticos e hormonais. A queda hormonal fisiológica da idade parece ser uma das maiores responsáveis pelo envelheci- mento da pele e de outros órgãos. 4,5

A radiação UV danifica a pele humana, afeta sua tonalida- de, seu tônus e sua resistência causando envelhecimento preco- ce. 3,6,7 A pele fotoenvelhecida apresenta alterações proeminentes no componente celular e na matriz extracelular do tecido conectivo com acúmulo de elastina desorganizada na derme profunda e grave perda de colágeno. 6 Esse processo é resultado da ativação das metaloproteinases da matriz (MMPs), que são responsáveis pelas mudanças na matriz extracelular do colágeno do tecido conectivo. 6 Os raios UV também atacam os querati- nócitos e os fibroblastos. 3 Essas alterações causam uma varieda- de de mudanças moleculares, que levam à destruição de coláge- no extracelular e parada na síntese de colágeno novo. 3

Os radicais livres também apresentam papel importan- te no envelhecimento, segundo teoria desenvolvida por Denham Harman, em 1956. 8,9 O estresse oxidativo é originado pelo desequilíbrio entre a formação de substâncias oxidantes e a atuação dos sistemas de defesa antioxidante, sendo a formação de radicais livres ocasionada pelo metabolismo de oxigênio. 9 Os radicais livres danificam estruturas cutâneas nobres como mem- branas celulares, segmentos do DNA, fibras colágenas e elásticas resultando nos sinais clinicamente conhecidos do envelheci- mento da pele. 8 A degradação de produtos oxidados é feita pela proteossoma, protease multicanalítica cuja atividade parece diminuir ao longo da vida, ocasionando degradação incompleta de proteínas oxidadas, aumento de agregados proteicos e acele- ração da disfunção celular. 8-10

Reações oxidativas ocorrem fisiologicamente no orga- nismo humano, porém são contrabalançadas pela ação de anti- oxidantes endógenos ou provenientes da dieta. Quando há dese- quilíbrio no estado de oxidorredução, em favor das reações pró- oxidativas, ocorre dano celular, denominado estresse oxidativo. 11

Existem mecanismos de defesa antioxidante para pre- venir ou reduzir os efeitos do estresse oxidativo, com a partici- pação de enzimas endógenas como superóxido dismutase, cata- lase, glutationa peroxidase e outras substâncias disponíveis na dieta, como carotenoides, composto fenólicos, tocoferóis e ácido ascórbico. 11,12

Os carotenoides se encontram presentes naturalmente na pele humana, sendo o licopeno substância desse grupo encontrada em frutas e vegetais, principalmente naqueles de coloração avermelhada, como o tomate. 10,12 Quando exposta em excesso à radiação UVB, a pele se protege com formação de eri- tema; no entanto essa defesa gera estresse oxidativo com interfe- rência na regulação da expressão genética e dano no DNA. 12 A suplementação oral de licopeno, que tem grande potencial anti- oxidante, mostra-se capaz de promover proteção contra o erite- ma causado pela radiação UV com consequente diminuição do estresse oxidativo. 12

Nas uvas encontramos os flavonoides, que são compos- tos polifenólicos. 13,14 Em 1936, Rusznyák e Szent- György13 mostraram que os flavonoides presentes em frutas cítricas dimi- nuem a fragilidade e a permeabilidade capilar em humanos devido a sua ação antioxidante. 13

O ácido ascórbico (vitamina C) é essencial na síntese de colágeno e participa do sistema de regeneração dos tocoferóis (vitamina E), mantendo o potencial antioxidante plasmático. 11 A vitamina E encontra-se no plasma e na partícula de LDL, pro- tegendo lipídeos da oxidação. Estudos mostraram sua capacida- de de reduzir biomarcadores do estresse oxidativo. 11,14 Uma importante fonte de fornecimento do ácido ascórbico é o extra- to de acerola.

O Complexo Biomarinho é rico em proteínas e polis- sacarídeos, e quando presente em suplementos orais tem mostra- do bons resultados na melhora da estrutura da pele. 15-17

Assim, as pesquisas clínicas e o incentivo ao uso de suplementos orais configuram prática crescente na dermatologia moderna.

O objetivo do presente estudo foi avaliar por meio de ava- liações subjetivas e objetivas a eficácia, segurança e tolerabilida- de de um suplemento oral à base de proteína marinha, acerola concentrada e extratos de semente de uva e tomate em 360 dias de uso por 45 voluntárias portadoras de fotoenvelhecimento cutâneo.

MÉTODOS

Foi elaborado estudo clínico monocêntrico, fase IV, pros- pectivo, não comparativo, aberto, aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa em Seres Humanos. Consistiu no uso de Imedeen® Time Perfection (102,5mg de Complexo Biomarinho® - com- posto de proteínas e polissacarídeos marinhos -, 14,8mg de Lycophence® GS - composto de licopeno e extrato de semen- te de uva- e 30mg de extrato de acerola (Ferrosan Laboratórios S/A, Copenhagen, Dinamarca), ingerido sob a forma de dois comprimidos por dia em tomada única, associado ao uso do protetor solar Episol ® loção FPS15 (Mantecorp Indústria Química e Farmacêutica Ltda., Rio de Janeiro, Brasil) na face duas vezes ao dia. As voluntárias foram orientadas a fazer uso exclusivo do fotoproteor 30 dias antes do início do uso do suplemento oral.O tratamento teve a duração de 360 dias, e as voluntárias compareceram mensalmente ao centro de pesquisa.

O estudo previu a inclusão de 45 voluntárias. Só participa- ram do ensaio clínico mulheres que assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) após explicação completa do estudo. Após a obtenção do TCLE, foram submetidas à avaliação dermatológica geral, verificando se atendiam aos critérios de inclusão necessários (idade entre 35 e 60 anos; usuárias habituais de fotoprotetor facial FPS 15 por no mínimo 30 dias anteriores ao início do tratamento; fototipo I a III na classificação de Fitzpatrick; sem histórico sabido de reação alér- gica aos produtos em teste e a frutos do mar; livres de doenças sistêmicas e/ou cutâneas que pudessem interferir na avaliação do envelhecimento cutâneo).

As voluntárias foram esclarecidas sobre as exigências duran- te o período do estudo, e tendo sido retiradas aquelas que não aderiram ao protocolo (deixaram de utilizar qualquer um dos produtos em sua dose total diária ou menos de 50% da dose diá- ria por mais de sete dias consecutivos ou 15 dias intercalados. Foram considerados critérios de exclusão ter e/ou apresentar qualquer dermatose, doença sistêmica ou necessidade de uso de medicamentos e/ou produtos que atrapalhassem a avaliação clí- nica do tratamento em questão; uso de cosmético no local da avaliação; uso de suplemento oral para fotoenvelhecimento; tabagismo; uso de drogas ilícitas; exposição solar intensa duran- te o estudo e nos 60 dias pré-estudo; gestação ou lactação.

Mensalmente, as voluntárias se submeteram à realização de ultrassom cutâneo com sonda de 22Mhz (DUB®-USB, SkinScanne – Luneburg, Alemanha) na face (região zigomática esquerda) e na face súpero-medial do braço esquerdo (4cm abai- xo do limite inferior da implantação dos pelos axilares), bem como à aplicação de questionários de percepção de eficácia clí- nica pelo médico avaliador e pelo voluntário e, por fim, avalia- ção de segurança através do questionário de evento adverso. Também foram fotografadas (Canon® PowerShot G10, Oita, Japão); submetidas a avaliações clínicas, através de questionários subjetivos de resposta por parte dos médicos e de autoavaliação, e quanto à existência ou não de eventos adversos. Os critérios avaliados pelos questionários subjetivos de resposta por parte dos médicos e de autoavaliação pela voluntária foram: rugas, linhas finas de expressão, melanoses solares, outras hipercromias, erite- ma, hidratação, viço, oleosidade, suavidade ao toque e aparência geral; os padrões de respostas possíveis foram: melhora comple- ta, melhora acentuada, melhora moderada, melhora discreta, manutenção, piora discreta, piora moderada, piora acentuada e piora completa.

Utilizaram-se testes estatísticos não paramétricos, posto que as variáveis não tinham distribuição-padrão normal (Curva de Gauss), segundo o teste de Anderson-Darling. Estabeleceu-se para este estudo nível de significância de 0,05 (5%: p<0,05), com intervalos de confiança de 95%. Para analisar as respostas obtidas dos questionários médicos e das voluntárias, utilizou-se o teste de Igualdade de Duas Proporções; para as respostas de ultrassom foram usados os testes de Wilcoxon e de Friedman.

RESULTADOS

O estudo foi finalizado com 33 (73,3%) das 45 voluntárias. Delas, sete desistiram por motivos pessoais, e cinco foram afasta- das segundo os critérios de exclusão do estudo (ocorrência de: um caso de gravidez, um de cirurgia na coluna lombar, um de dengue e dois de uso de antibióticos), sem que nenhuma exclu- são se tivesse devido ao uso do produto.

No questionário de eficácia respondido pelo médico (ava- liação clínica) foram encontradas várias mudanças consideradas estatisticamente significantes em todos os quesitos (p<0,05). De acordo com as respostas ao questionário, em 360 dias de uso do produto, 6,1% das voluntárias apresentaram melhora de rugas: 9,1% de linhas finas; 12,1% das melanoses solares; 12,1% de outras hipercromias; 9,1% do eritema; 84,9% da hidratação, 63,7% do viço; 12,1% da oleosidade; 84,8% da suavidade ao toque e, por fim, 45,4% da aparência geral da pele. Foi demons- trada significativa melhora dos parâmetros após 30 dias de uso do produto, sendo que em 330 dias foi notada estabilização dessa melhora. (Tabela 1, gráfico 1 e figura 1).

O questionário de eficácia de voluntários apontou resulta- dos semelhantes aos da avaliação clínica de eficácia pelo médico. Os resultados obtidos em 330 dias foram melhora: 27,3% das rugas; 30,3% das linhas finas; 21,2% das melanoses solares; 21,2% de outras hipercromias; 12,1% de eritema; 45,5% da hidratação; 42,4% do viço; 18,2% da oleosidade; 42,5% da suavidade ao toque e 48,6% da aparência geral. (Tabela 2, gráfico 2 e figura 1).

Pela análise ultrassonográfica, cujo resultado foi facilmente notado, conclui-se que houve aumento progressivo dos valores da densidade da derme em praticamente todas as visitas, haven- do melhora no padrão de fibras colágenas e elásticas. No final do estudo (D360), com relação a seu início, houve aumento da den- sidade dérmica tanto na face (132,3%; p<0,001) quanto no braço esquerdo (51,9%; p<0,001), ou seja, áreas fotoexposta e fotoprotegida respectivamente, sendo essa melhora estatistica- mente significativa em ambos os locais analisados. (Tabela 3, tabela 4, gráfico 3 e figure 2).

DISCUSSÃO

O envelhecimento cutâneo é ocasionado pela radiação solar UV e por fatores endógenos. 4 Com a idade, há aumento dos radiacais livres e diminuição dos mecanismos de defesa cutâ- neos acelerando o envelhecimento. 3 No entanto, dispomos de produtos antioxidantes para atenuar esse processo. 18

A possibilidade de tratamentos capazes de estabilizar ou reverter as alterações do envelhecimento é relevante para ganho na qualidade de vida e saúde da população. Nessa batalha, sur- gem os nutracêuticos como uma promessa factível e de caráter sistêmico na abordagem do fotoenvelhecimento.

Pelo presente estudo, constatou-se, na avaliação clínica do médico e do voluntário, que a suplementação oral à base de pro- teína marinha e extratos de acerola, semente de uva e tomate pode ser importante para a melhoria de vários aspectos clínicos da pele fotoenvelhecida. Viu-se resposta favorável na melhoria de linhas finas, melanoses solares, outras hipercromias, eritema, viço, oleosidade, suavidade ao toque e aparência geral, observa- dos pelo médico e pelo voluntário. Observou-se significativa melhora desses sinais no início do tratamento e, depois, estabili- zação.

Em 1998, Kieffer et al., 15 conduziram um estudo de 12 meses, tendo as voluntárias sido divididas em dois grupos nos três primeiros meses; um grupo usou exclusivamente placebo, e o outro o mesmo suplemento oral aqui estudado. Assim como nós, os autores encontraram melhora dos aspectos da pele por meio de avaliação fotográfica (linhas finas, envelhecimento glo- bal, telangiectasias e hiperpigmentações), na autoavaliação da pele e no ganho na densidade da pele medida por meio ultras- sonográfico que demonstrou ganho na espessura dérmica papi- lar e reticular, sem presença de efeitos colaterais sérios. 15

O uso favorável de produtos enriquecidos com Complexo Biomarinho na formulação, na abordagem de sinais de envelhe- cimento cutâneo, também foi descrito por Heule, em 1992. Devido a seu conhecimento de que, para melhorar a pele fotoenvelhecida, era preciso mais do que um cosmético, o pes- quisador realizou estudo-piloto com o Complexo Biomarinho. Houve melhora tanto objetiva quanto subjetiva dos sintomas do envelhecimento cutâneo, observando-se atenuação das linhas finas de expressão e da pigmentação cutânea. Seu estudo durou 90 dias e incluiu análise ultrassonográfica da região periocular, que evidenciou aumento da espessura da epiderme e da derme, 8,3% e 83,3% respectivamente. 19

Costa et al., em 2011, 16 demonstraram que o uso do pro- duto objeto deste estudo, durante 120 dias, foi eficaz na melho- ra das características da pele envelhecida, sendo os valores encontrados estatisticamente significantes em análises objetivas e subjetivas. Pela avaliação médica e da voluntária, os autores observaram melhora clínica para rugas, linhas finas de expressão, outras hipercromias, hidratação, viço, suavidade ao toque e apa- rência geral. Na corneometria, houve aumento de 25,41% na face e 35,17% no braço, e na pHmetria houve redução de 10,37% na face e 10,10% no braço. Consequentemente, observou-se melhora da hidratação cutânea e redução (acidificação) do pH da pele, marcador ideal da pele hidratada. Houve signifi- cativa redução da seborreia, demonstrada pela redução de 29,26% nos parâmetros iniciais da sebumetria. Pela análise ultrassonográfica, houve aumento gradual dos parâmetros da pele para face e braço de 49,94% e 13,90%, respectivamente. Todos os parâmetros numéricos mencionados foram estatistica- mente significativos.

A acidez da pele tem fundamental relevância para a hidra- tação cutânea, com capacidade de controlar a coesão e a integri- dade da camada córnea da epiderme. Essa acidez é de essencial importância para a barreira epidérmica antimicrobiana e para estabelecer a permeabilidade da barreira epidérmica. 17 O que explica essa função na permeabilidade epidérmica é a capacida- de de as enzimas que secretam os lípides da barreira lipídica bila- melar serem ativadas em pH ácido, assim potencializando a inte- gridade e a coesão do estrato córneo e aumentando a capacida- de de hidratação da pele. 17,20 Em nossos achados clínicos, encon- tramos melhora da aparência geral da pele das voluntárias, acha- do certamente corroborado pela capacidade hidratante atribuí- da a essa combinação nutracêutica, como já relatado em traba- lhos anteriores. 16

A vitamina C também tem a capacidade de estabilizar e reduzir a sensibilidade térmica do colágeno, estimulando a pro- dução de colágeno in vitro e in vivo, e protegendo a pele do foto- dano. 21 Tais benefícios podem sustentar o aumento progressivo da densidade dérmica obtida com o uso do suplemento, sendo ele de grande valia na recuperação da pele envelhecida.

O licopeno está diminuído na xerose cutânea, que é o maior sinal de desidratação da pele e o estádio inicial da forma- ção das ritides. 20,22,23 A vitamina C associada a ele sequestra os radicais livres e defende a pele dos danos causados pela exposi- ção às radiações. 24-26 A presença do licopeno no nutracêutico é capaz de melhorar a hidratação, fato constatado em nossos resul- tados e já sugerido por Costa et al. no estudo referido. 16

A ingestão oral de polifenóis previne alteração da barreira da epidérmica e melhora a proteção da pele contra o UVB; o extrato de semente de uva, presente no produto em teste, tem ajudado na melhora da hidratação cutânea, já que é elemento rico em polifenóis. 22 Nesses polifenóis encontramos altas con- centrações de flavanoides que, em estudos in vitro, mostram ati- vidade antioxidante maior do que as vitaminas E e C. 27 No pre- sente estudo, os resultados demonstrados pelas análises objetivas e subjetivas reforçam nossa inferência de como um produto à base de polifenóis tem a capacidade de melhorar o aspecto da pele envelhecida, restabelecendo hidratação mais intensa e gerando maior tolerância aos raios UVB. 22

A relevância e credibilidade do estudo se deram não só pelo longo tempo de uso do composto, mas também pela qua- lidade e confiabilidade da análise dos resultados, que foram devi- das à análise subjetiva do próprio voluntário e clínica do médi- co, e também foram subsidiadas pelo instrumental de alto padrão, com registro fotográfico digital e ultrassonografia dér- mica.

CONCLUSÃO

O presente estudo foi capaz de nos apresentar excelente alternativa de tratamento para a pele fotoenvelhecida, levando- nos à conclusão da confiabilidade de eficácia e segurança a longo prazo do uso de nutracêutico à base de proteína marinha, ace- rola concentrada e extratos de semente de uva e tomate para melhorar os aspectos da manifestação cutânea do fotoenvelheci- mento, documentada por registros fotográfico, ultrassonográfico e avaliação clínica e pessoal.

Referências

1 . Pathak MA, Fitzpatrick TB, Greiter F, Kraus EW. Preventive treatment of sunburn dermatoheliosis, and skin cancer with sun-protective agents. In: Fitzpatrick TB, Eisen AZ, Wolff K, Freedberg IM, Austen KF (editors). Dermatology In General Medicine. 3rd ed. New York: McGraw-Hill Publishers; 1987. p. 1507–22.

2 . Larnier C, Ortonne JP, Venot A, Faivre B, Béani JC, Thomas P, Brown TC, et al. Evaluation of cutaneous photodamage using a photographic scale. Br J Dermatol. 1994;130(2):167-73.

3 . Scharffetter-Kochanek K, Brenneisen P, Wenk J, Herrmann G, Ma W, Kuhr L, Meewes C, et al. Photoaging of the skin from phenotype to mechanisms. Exp Gerontol. 2000; 35(3):307-16.

4 . Makrantonaki E, Zouboulis CC. Molecular mechanisms of skin aging: state of the art. Ann N Y Acad Sci. 2007;1119:40-50.

5 . Zouboulis ChC. Intrinsic skin aging. A critical appraisal of the role of hormones. Hautarzt. 2003; 54(9):825-32.

6 . Schieke SM. Photoaging and infrared radiation. Novel aspects of molecular mechanisms. Hautarzt. 2003; 54(9):822-4.

7 . Fisher GJ, Talwar HS, Lin J, Voorhees JJ. Molecular mechanisms of photoaging in human skin in vivo and their prevention by all-trans retinoic acid. Photochem Photobiol. 1999; 69(2):154-7.

8 . Montagner S, Costa A. Bases biomoleculares do fotoenvelhecimento. An. Bras. Dermatol. 2009; 84(3): 263-9.

9 .  Widmer R, Ziaja I, Grune T. Protein oxidation and degradation during aging: Role in skin aging and neurodegeneration. Free Radic Res. 2006; 40(12):1259–68.

10 .  Shami NJIE, Moreira EAM. Licopeno como agente antioxidante. Rev Nutr. 2004; 17(2): 227-36.

11 .  Siqueira CA, Risso BC, Ferreira SRG. Vitaminas e minerais com propriedades antioxidantes e risco cardiometabólico: controvérsias e perspectivas. Arq Bras Endocrinol Metab. 2009; 53(5): 550-9.

12 .  Aust O, Stahl W, Sies H, Tronnier H, Heinrich U. Supplementation with tomato-based products increases lycopene, phytofluene, and phytoene levels in human serum and protects against UV-light-induced erythema. Int J Vitam Nutr Res. 2005; 75(1):54-60.

13 . Rusznyák S, Szent-György A. Vitamin nature of flavones. Nature 1936; 138:798.

14 .  Noroozi M, Angerson WJ, Lean MEJ. Effects of flavonoids and vitamin C on oxidative DNA damage to human lymphocytes. Am J Clin Nutr 1998; 67(6):1210–8.

15 .  Kieffer ME, Efsen J. Imedeen in the treatment of photoaged skin: an efficacy and safety trial over 12 months.J Eur Acad Dermatol Venerol. 1998;11(2):129-36.

16 . Costa A, Lindmark L, Arruda LHF, et al. Clinical, biometric and ultrasound assessments of effects of daily use of a nutraceutical composed of lycopene, acerola extract, grape seed extract and Biomarine Complex in photoaged human skin. An Bras Dermatol. Forthcoming 2012 Mar - Apr.

17 . Mauro TM. SC pH: Measurement, Origins, and Functions. In: Elias PM, Feingold KR. Skin Barrier. New York: Taylor & Francis Group; 2006. p.223-229.

18 . Bogdan Allemann I, Baumann L. Antioxidants used in skin care formulations. Skin Therapy Lett. 2008:13(7):5-9.

19 . Heule F. An oral approach to the treatment of photodamaged skin: a pilot study.J Int Med Res. 1992;20(3):273-8.

20 . Costa A. Hidratação cutânea. RBM Rev Bras Med. 2009;66(Ed. Esp. Dermatologia):15-21.

21 . Tebib K, Rouanet JM, Besancon P. Antioxidant effects of dietary polymeric grape seed tannins in tissues of rats fed a high cholesterol-vitamin E-deficient diet. Food Chem. 1997;59(1):135–141.

22 . Darvin M, Patzelt A, Gehse S, Schanzer S, Benderoth C, Sterry W, et al. Cutaneous concentration of lycopene correlates significantly with the roughness of the skin. Eur J Pharm Biopharm. 2008;69(3):943-7.

23 . Costa A, Pires MC, Gonçalves HS, Gontijo B, Bechelli L. Estudo clínico observacional de eficácia e segurança do uso de extratos de Imperata cylindrica e de Triticum vulgare. RBM Rev Bras Med. 2009; 66(8):249-53.

24 .  Amara-Mokrane YA, Lehucher-Michel MP, Balansard G, Duménil G, Botta A. Protective effects of alpha-hederin, chlorophyllin and ascorbic acid towards the induction of micronuclei by doxorubicin in cultured human lymphocytes. Mutagenesis. 1996; 11(2):161-7.

25 . Duthie SJ, Ma A, Ross MA, Collins AR. Antioxidant supplementation decreases oxidative DNA damage in human lymphocytes. Cancer Res. 1996;56(6):1291-5.

26 . Lupulescu A. Estrogen use and cancer risk: a review. Int J Vitam Nutr Res. 1994;64(1):3-14.

27 .  Miller NJ, Rice-Evans C, Davies MJ, Gopinathan V, Milner A. A novel method for measuring antioxidant capacity and its application to monitoring the antioxidant status in premature neonates. Clin Sci. 1993;84:407-412.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações