Sociedade Brasileira de Dermatolodia Surgical & Cosmetic Dermatology

GO TO

ISSN-e 1984-8773

Volume 3 Número 4


Voltar ao sumário

 

Relatos de casos

Tumor triquilemal proliferante gigante com fechamento por retalho miocutâneo bilateral de grande dorsal

Giant proliferating trichilemmal cyst with latissimus dorsi bilateral myocutaneous flap closure


Thiago Souza1, Fabio Francesconi1, Daniel Auade1, Marcos Ricci1

Cirurgião oncológico e professor da
Universidade Nilton Lins (UNILINS) –
Manaus (AM), Brasil.1, Cirurgião Oncológico e gerente do
departamento de Cirurgia Pélvica da
Fundação Centro de Controle de
Oncologia do Amazonas (FCECON) –
Manaus (AM), Brasil.2, Menbro titular do Colégio Brasileiro de
Cirurgiões, membro da Sociedade
Brasileira de Mastologia, membro da
Federação Brasileira de Ginecologia e
Obstetrícia – Manaus (AM), Brasil.3, Professor assistente da Universidade
Federal do Amazonas (UFA), Supervisor do
programa de residência em dermatologia
da Fundação de Medicina Tropical do
Amazonas - Dr Heitor Vieira Dourado e
Responsável pelo ambulatório de onco
dermatologia do FCECON – Manaus (AM),
Brasil.4

Data recebimento: 10/09/2011
Data aprovação: 10/12/2011

Trabalho realizado na Fundação Centro de
Controle de Oncologia do Amazonas da
Universidade Federal do Amazonas – Manaus
(AM), Brasil.

Conflitos de interesse: Nenhum
Suporte financeiro: Nenhum

Correspondência:
Thiago Guimarães Mattos de Souza
Rua Aurora 225, Cond Vincitore, casa 44 –
Flores
69058-404 - Manaus – AM
E-mail: dr_thiagosouza@yahoo.com.br

 

Resumo

Paciente do sexo masculino, 54 anos de idade com diagnóstico de tumor triquilemal gigante recidivante localizado no dorso, com cirurgia prévia realizada há seis anos. Após exérese da lesão com margem de 1cm, foi realizada reconstrução com retalho miocutâneo bilateral do músculo grande dorsal, com fechamento da ferida operatória. Descrevemos neste relato características clinicoepidemiológicas do tumor triquilemal, assim como as opções terapêuticas.

Palavras-chave: CISTOS, RETALHOS CIRÚRGICOS, RECIDIVA LOCAL DE NEOPLASIA

Paciente do sexo masculino, 54 anos de idade procurou a Fundação Centro de Oncologia do Amazonas – FCECON em setembro de 2010 com uma lesão tumoral recidivada, de 23 por 18cm, com bordas bem definidas e superfície lobulada de con- sistência endurecida, localizada no dorso, com evolução de seis anos, após cirurgia realizada em 2004 (Figura 1). O laudo histo- patológico da peça cirúrgica em 2004 foi de tumor triquilemal proliferante TTP). A tomografia computadorizada pré-operató- ria revelou lesão expansiva ovalada com dimenções de 15,6 por 10,6cm, de formato lobulado, heterogêneo, com calcificações grosseiras de permeio e com borramento da gordura sobreja- cente, adjacente à musculatura paravertebral. Foi programada a ressecção tumoral com margem de segurança de 2cm (Figuras 2 e 3) e rotação de retalho miocutâneo bilateral do músculo gran- de dorsal (Figura 4) para fechamento da extensa ferida operató- ria (Figura 5). O exame anatomopatológico da peça evidenciou massa tumoral pesando 1850g, medindo 27cm de diâmetro que revelou histologia de TTP.

DISCUSSÃO

Considerado variante agressiva do cisto triquilemal, o TTP, inicialmente descrito por Wilson Jones em 1963 sob a expressão cisto epidermoide proliferante, 1-4 tem sido relatado sob diferen- tes nomes na literatura: pilomatrixoma invasivo, tricoclamido- carcinoma, tumor capilar matrixal gigante e triquilenoma que- ratinizante. 3,4 Originário do istmo do pelo, 4,5 o TTP usualmente é solitário e surge em áreas de grandes concentrações de folícu- lo piloso, como couro cabeludo. 2-5 Outras localizações, como o tronco, são ocasionalmente descritas. 2-5 Acometem frequente- mente mulheres com idade acima de 40 anos de idade2-5 e apre- sentam-se como uma massa bem circunscrita, lobulada, poden- do ter o tecido circundante atrofiado ou ulcerado. 3-5 A lesão pode dar falsa impressão de carcinoma espinocelular tanto clíni- ca como histologicamente. 3-5

São tumores de natureza controversa, cujo comportamento clínico é, na maioria dos casos, benigno, apesar do potencial infil- trativo local. 3 Tumores com acentuada atipia celular podem com portar-se de forma benigna, assim como há casos sem atipia arquitetural, mas de comportamento clínico agressivo, podendo, aliás, haver infiltração dos tecidos circunvizinhos com possível recorrência local da lesão. 3,5 Em raros casos, metástases linfono- dais são descritas. 3 Seu comportamento clínico é, na maioria dos casos, benigno, apesar do potencial infiltrativo local. 3 O tratamen- to de escolha é a ressecção tumoral completa com margem cirúr- gica de pelo menos 1cm. 4 O paciente aqui em questão se desta- ca por ser do sexo masculino com lesão de 27cm, de localização não usual. 2-5 Foi submetido a complexo procedimento cirúrgico que possibilitou o fechamento da extensa ferida operatória.

Referências

1 . Jones EW. Proliferating epidermoid cysts. Archivies of Dermatology. 1966; 94(1):11-19.

2 . Mathis ED, Honningford JB, Rodriguez HE, Wind KP, Connolly MM, Podbielski FJ. Malignant proliferating trichilemmal tumor. Am J Clin Oncol. 2001; 24(4):351-353.

3 . Folpe AL, Reisenauer TK, Mentzel T, Rutten A, Solomon AR. Proliferating trichilemmal tumors: clinicopathologic evaluation is a guide to biologic behavior. J Cutan Pathol. 2003; 30(8): 492-98.

4 . Karaca S, Kulac M, Dilek FH, Polat C, Yilmaz S. Giant proliferanting trichilemal tumor of the gluteal region. Dermatol Surg. 2005; 31(12):1734-6.

5 . Satyaprakash AK, Sheehan DJ, Sangueza OP. Proliferating Trichilemmal Tumors: A Review of the Literature. Dermatol Surg. 2007; 33(9):1102-8.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações