Sociedade Brasileira de Dermatolodia Surgical & Cosmetic Dermatology

GO TO

ISSN-e 1984-8773

Volume 3 Número 3


Voltar ao sumário

 

Relatos de casos

Abordagem cirúrgica de úlcera do couro cabeludo

Surgical treatment of scalp ulcers


Dadi Bucusso Netemo1

Cirurgião plástico em Campinas (SP), Brasil.1

Data de recebimento: 12/04/2011
Data de aprovação: 23/08/201

Trabalho realizado no Hospital Josina Machel
em Luanda - Angola em convênio técnico
internacional de cooperação com a
Universidade Estadual de Campinas
(Unicamp)– Campinas (SP), Brasil.

Conflitos de interesse: Nenhum
Suporte financeiro: Nenhum

Correspondência:
Dadi Bucusso Netemo
R. Hermantino Coelho 77, bloco 1 apto 73 -
Mansões de Santo Antônio
13087-500 – São Paulo – SP
E-mail: medibucusso@hotmail.com

 

Resumo

O couro cabeludo tem fundamental importância para a manutenção da integridade do arcabouço ósseo que protege o sistema nervoso central. Sua restauração mantendo forma e aspecto estético após lesões é um desafio. O presente trabalho descreve o caso de uma criança com grande área de esfacelo e exposição óssea no couro cabeludo, após infecção do tipo celulite necrotizante, tratada com desbridamento, microperfurações da calota craniana e curativo com gaze vaselinada. Houve formação de tecido de granulação em 10 dias. Posteriormente realizou-se enxerto de pele parcial com resultado satisfatório.

Palavras-chave: INFECÇÕES BACTERIANAS, COURO CABELUDO, RECONSTRUÇÃO

INTRODUÇÃO

O revestimento do segmento cefálico é constituído por estruturas anatômicas definidas e distintas entre si, podendo divi- dir-se em partes moles, representadas pelo couro cabeludo e suas respectivas camadas, e tecido ósseo representado pela calota cra- niana. As partes moles são divididas em cinco camadas anatômi- cas diferentes: pele, tecido subcutâneo, gálea, tecido areolar frou- xo e pericrânio. 1 Com intuito didático, as ulcerações de couro cabeludo podem ser divididas em parciais e totais, de acordo com o nível de espessura de seu comprometimento anatômico. Outro dado importante é a história clínica do tempo de evolu- ção: aguda ou tardia. Nas lesões de espessura total do couro cabeludo, com perda de todas as camadas e exposição da calota craniana, deve-se ter como premissa a cobertura da estrutura óssea com tecidos vascularizados, como também o fechamento da área lesada para evitar regiões de alopecia. Alem da míiase furunculóide ou cavitária, abcessos e celulite necrotizante, como ocorreu no presente caso, há ainda lesões de origem traumática de que se destacam traumas diretos, mordeduras caninas, quei- maduras e neoplasias. 2

RELATO DE CASO

Paciente de um ano e cinco meses chegou à urgência do Hospital Josina Machel em Luanda-Angola com historia de furúnculo na região frontal negligenciado e com tentativa de tra- tamento no domicílio, que evoluiu com necrose e lesão ulcerosa de espessura total do couro cabeludo (Figura 1). A lesão apresen- tava 15cm no maior diâmetro e 8cm no menor, com bordas irre- gulares e secreção purulenta. Havia visualização da tábua externa da calota craniana. Realizou-se desbridamento da lesão, lavagem com soro fisiológico a 0,9% e curativo com pomada de sulfadia- zina de prata a 1% durante dois dias. Posteriormente o paciente foi encaminhado ao centro cirúrgico, onde foram reali zadas microperfurações da tábua óssea externa (Figura 2) e curativo com gaze rayon embebida em vaselina, retirado no sétimo dia. No décimo dia, apresentando-se a lesão 95% granulada (Figura 3), realizou-se enxerto de pele parcial (Figura 4), obtendo-se inte- gração satisfatória do enxerto.(Figura 5)

DISCUSSÃO

Nas lesões extensas do couro cabeludo com perda do peri- crânio, associadas a infecção ou em pacientes debilitados, a téc- nica de múltiplas perfurações da tábua externa do crânio é a mais indicada principalmente em crianças, cuja díploe contém grande quantidade de tecido ósseo esponjoso ricamente vascu- larizado, que irá permitir a formação de tecido de granulação em alguns dias, e sobre o qual se pode aplicar o enxerto de pele de espessura fina. 3

Referências

1 . Alpert Bs, Buncke HJ, Mathes SJ. Surgical treatmentebof the totally avulsed scalp. Clin Plast Surg. 1982;9(2):145-59.

2 . Argenta L, Watanabe M, Grabb W. The use of tissue expansin in head and neck reconstrucion. Ann Plastic Surg. 1983;11(1):31-7.

3 . Temple CL, Ross DC. Scalp and forehead reconstrution. Division of Plastic Surgery,Clin Plast Surg. 2005;32(3):377-90.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações