Sociedade Brasileira de Dermatolodia Surgical & Cosmetic Dermatology

GO TO

ISSN-e 1984-8773

Volume 3 Número 2


Voltar ao sumário

 

Artigos Originais

Celluqol® - instrumento de avaliação de qualidade de vida em pacientes com celulite

A quality of life measurement for patients with cellulite


Doris Hexsel1, Magda Blessmann Weber1, Maria Laura Taborda1, Taciana Dal'Forno1, Débora Zechmeister-Prado1

Médica dermatologista – Porto Alegre (RS),
Brasil.1, Professora adjunta de dermatologia do
Departamento de Clínica Médica da
Universidade Federal de Ciências da Saúde
de Porto Alegre (UFCSPA) – Porto Alegre
(RS), Brasil.2, Professora adjunta de dermatologia do
Departamento de Clínica Médica da
Universidade Federal de Ciências da Saúde
de Porto Alegre (UFCSPA) – Porto Alegre
(RS), Brasil.2, Preceptora da dermatologia cosmética no
Departamento de Dermatologia da
Pontificia Universidade Catolica do Rio
Grande do Sul, (PUCRS) – Porto Alegre (RS),
Brasil.4, armacêutica – Porto Alegre (RS), Brasil5

Recebido em: 03/01/2011
Aprovado em: 09/03/2011

Trabalho realizado no Centro Brasileiro de
Estudos em Dermatologia (CBED) – Porto
Alegre (RS), Brasil.

Conflitos de Interesses: Nenhum
Suporte Financeiro: Nenhum

Correspondência:
Doris Hexsel
Dr.Timoteo, 782 – Moinhos do Vento
90570 040 - Porto Alegre - RS
Tel.: (55 51) 3264 1234 /3026 2633
E-mail: doris@hexsel.com.br

 

Resumo

Introdução: Após a puberdade, a maioria das mulheres desenvolve algum grau de celulite. O aumento do número de consultas dermatológicas relacionadas ao tratamento da celulite demandou compreensão mais ampla de características, desejos e expectativas desses pacientes com relação à qualidade de vida.
Objetivo: Elaborar e validar instrumento de avaliação da qualidade de vida para pacientes com celulite.
Métodos: O estudo teve duas etapas: a elaboração e a validação dos instrumentos de avali- ação da qualidade de vida. Na segunda etapa, dois questionários foram elaborados e aplica- dos a 100 voluntárias com idade entre 18 e 45 anos, que apresentavam celulite.
Resultados: A confiabilidade dos resultados foi verificada por meio de análise fatorial e Teste a de Cronbach para avaliação estatística. Uma análise fatorial exploratória possibilitou testar a hipótese de que todas as questões do questionário resumido mediam um único domínio ou fator (no caso, celulite) e a hipótese de que cada bloco de questões do questionário completo media um único domínio ou fator entre os parâmetros avaliados (modo de vestir, lazer, atividade física, parceiro, sentimentos e mudança de hábitos cotidianos).
Conclusões: A análise de validação mostrou que ambos os questionários podem ser usados, com grau similar de eficácia.

Palavras-chave: QUALIDADE DE VIDA, QUESTIONÁRIOS, CELULITE

INTRODUÇÃO

A Organização Mundial de Saúde (OMS) defende visão abrangente segundo a qual saúde não é meramente a ausência de doença ou enfermidade,mas a capacidade de o indivíduo ter vida produtiva e agradável. 1 Avaliar qualidade de vida não é tare- fa simples ou fácil,mas é importante. Por isso, vários instrumen- tos de medida estão sendo desenvolvidos e validados para apli- cação em diversas doenças ou grupos de doentes. 2,3

A dermatologia e outras especialidades médicas, como a cirurgia plástica, incluem, em suas áreas de atuação, o atendi- mento a pacientes com queixas estéticas; entretanto, a literatura médica disponível sobre qualidade de vida relacionada a esses temas é ainda bastante escassa.

Condição que ocorre sobretudo nas mulheres, afetando em especial coxas e nádegas, a celulite constitui queixa extremamente frequente nos dias atuais. O termo é mundialmente conhecido e usado para caracterizar alterações da superfície da pele que lhe con- ferem aspecto de casca de laranja, queijo cottage ou acolchoado, e tem origem na literatura médica francesa há mais de 150 anos, e seus sinônimos incluem adipose edematosa e lipodistrofia ginoide.

Após a puberdade, a maioria das mulheres desenvolve algum grau de celulite, embora a real prevalência ainda não tenha sido estabelecida. Sabe-se que é prevalente em mulheres de todas as raças, sendo mais comum nas caucasianas. 4 Há três hipóteses para explicar a fisiologia da celulite: fatores inflamató- rios, alterações vasculares e alterações dos septos do tecido con- juntivo, 4 parecendo haver relevante componente hormonal, já que afeta a quase totalidade das mulheres, sendo rara nos home- ns. Em 1978, a primeira classificação da celulite foi descrita por Nurnberger e Muller com base no aspecto clínico das lesões. 5 Nova classificação, a Cellulite Severity Scale, desenvolvida por Hexsel,Dal''''''''Forno e Hexsel, agrega outros aspectos clínicos, ava- liando qualitativa e quantitativamente a celulite. 6

É crescente a busca de aparência física perfeita, embora não haja estudos demonstrando os motivos.No Brasil, os índices de cirurgias plásticas e consultas cosmiátricas estão entre os maio- res do mundo. O entendimento dos motivos que levam os pacientes a se submeter a tantos procedimentos, cirúrgicos incluídos, para melhorar a aparência pode provocar diminuição do número atual de procedimentos desnecessários. 7,8 O aumen- to crescente das consultas dermatológicas por motivos estéticos demanda entendimento mais abrangente de características, anseios e expectativas desse grupo específico de pacientes.

A falta de instrumento para avaliar a qualidade de vida em pacientes com celulite e a necessidade de desenvolvimento de novos instrumentos podem ser de grande utilidade clínica, pos- sibilitando verificar o quanto e por que as imperfeições estéticas incomodam e atrapalham o cotidiano das pessoas nos dias atu- ais, aparentemente interferindo mais do que em épocas anterio- res. Esses fatores motivaram os autores a desenvolver instrumen- to que avalie a qualidade de vida desses pacientes.

OBJETIVOS

Este trabalho visa elaborar e validar um instrumento de avaliação da qualidade de vida de pacientes com celulite.

MÉTODOS

Foi desenvolvido estudo transversal no qual foram incluí- das pacientes do sexo feminino com 18 anos de idade ou mais que se consultaram em unidade de pesquisa (Centro Brasileiro de Estudos em Dermatologia – CBED) em Porto Alegre, RS, Brasil, apresentando queixas de celulite. Foram excluídas pacientes que apresentavam doença psiquiátrica previamente diagnosticada ou doença sistêmica descompensada, tais como hipertensão arterial sistêmica e diabete melito.

O estudo compôs-se de duas etapas, elaboração e validação de um instrumento em língua portuguesa de avaliação da qua- lidade de vida, com duas fases em cada uma dessas etapas.

O estudo foi conduzido com Boas Práticas Clínicas con- forme GCP/ICH e Declaração de Helsinque. A pesquisa foi aprovada pelo comitê de ética da UFCSPA, recebendo o núme- ro 281/06.

Etapa I - Elaboração do instrumento de avaliação de qua- lidade de vida

Na primeira fase, a partir do banco de dados da unidade de pesquisa (CBED), as pacientes que já haviam sido consultadas com queixa de celulite foram identificadas e convidadas a com- parecer em data determinada para participar do estudo.A amos- tra utilizada nessa etapa do trabalho foi de conveniência, tendo sido considerada ideal quando houve suficiente coincidência de respostas e não apareceram novas queixas significativas.Antes da entrevista, as pacientes foram avaliadas quanto aos critérios de inclusão e exclusão, e aquelas elegíveis para o estudo foram orientadas sobre seus objetivos e receberam o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido para ler e, tendo compreen- dido a pesquisa, assinar.As pacientes participaram do estudo res- pondendo a uma única questão aberta, que lhes solicitava indi- car os aspectos de sua vida que estavam sendo prejudicados pelo fato de ter celulite: "Nós estamos tentando descobrir o quanto ter celulite afeta a vida das pacientes. Ficaríamos muito agrade- cidos se você pudesse nos ajudar, mas não é obrigada a fazê-lo. Por favor, escreva abaixo de que forma ter celulite afeta a sua vida.Você pode incluir qualquer aspecto da vida profissional, social, relacionamentos pessoais, atividades de lazer, ou qualquer outra situação. Embora necessitemos saber sua idade, não é necessário identificar-se".

Na segunda fase dessa etapa, foram analisados qualitativa- mente os textos das respostas e criado um banco de dados com as principais queixas das pacientes, agrupadas então em domí- nios maiores, relacionados abaixo:

  • Modo de vestir: escolha das cores e dos tecidos do ves- tuário, escolha de modelagem mais justa e uso de roupas minús- culas.
  • Lazer: participação em atividades que impliquem expo- sição do corpo, em grupo (praia, piscina) ou restritamente (mas- sagem).
  • Atividades físicas: prática de atividades esportivas que impliquem exposição do corpo (natação, hidroginástica).
  • Parceiro: expor o corpo ao parceiro,medo de perder o parceiro, restrições na vida sexual. Importar-se com o fato de o parceiro notar que tem celulite.
  • Sentimentos: constrangimento, dificuldades e dúvidas sobre o resultado de tratamentos, descrença, culpa, frustração, desânimo, diminuição da autoestima, rebeldia.
  • Mudanças de hábitos cotidianos: mudanças de hábitos alimentares, comprometimento do orçamento com compra de medicações e cremes, restrições de outras despesas em favor de tratar a celulite.
  • Os resultados dessa análise também permitiram a elabora- ção de questionário inicial para mensurar a qualidade de vida das pacientes que se queixam de celulite.

    Etapa II - Elaboração de questionário e validação
    Com a identificação dos domínios e os principais pontos referidos em cada um deles foi elaborada a versão inicial do Celluqol ®. Na fase inicial dessa etapa, todas as perguntas foram identificadas, totalizando 22 (Tabela 1), para que fossem então validadas aquelas que comporiam o questionário final. Ainda nessa etapa foi elaborado um questionário resumido (Tabela 2) para ser comparado ao completo e também avaliada a possibili- dade de seu uso no dia a dia dos consultórios médicos.A versão resumida continha apenas oito questões, mas abrangia todos os domínios identificados durante a pesquisa qualitativa da primei- ra fase do estudo.

    Os escores do questionário variaram entre 22 e 110 pon- tos, tendo as alterações da qualidade de vida medidas por ele sido interpretadas da seguinte forma:
    Entre 22 e 44 pontos - a celulite não afeta a qualidade de vida.
    Entre 44 e 66 pontos - a celulite afeta pouco a qualida- de de vida.
    Entre 66 e 88 pontos - a celulite afeta razoavelmente a qualidade de vida.
    Entre 88 e 110 pontos - a celulite afeta muito a qualida- de de vida.

    Os escores do questionário resumido variaram entre 8 e 40 pontos, tendo as alterações da qualidade de vida sido interpreta- dos da seguinte forma:
    Entre 8 e 16 pontos - a celulite não afeta a qualidade de vida.
    Entre 16 e 24 pontos - a celulite afeta pouco a qualida- de de vida.
    Entre 24 e 32 pontos - a celulite afeta razoavelmente a qualidade de vida.
    Entre 32 e 40 pontos - a celulite afeta muito a qualida- de de vida.

    RESULTADOS

    Após a aplicação dos questionários completo e resumido a 100 voluntárias, foram feitas as análises para verificar sua valida- de e confiabilidade, utilizando-se análise fatorial e alfa de Cronbach para as avaliações estatísticas.

    ANÁLISE FATORIAL

    Uma análise fatorial exploratória possibilitou testar a hipó- tese de que todas as oito questões do questionário resumido mediam único domínio ou fator (no caso, celulite) e a hipótese de que cada bloco de questões do questionário completo media único domínio ou fator dos parâmetros avaliados (modo como se veste; lazer, atividade física, parceiro, sentimentos e mudança de hábitos cotidianos). Um fator foi considerado dominante se seus autovalores medidos fossem superiores a 1.Cada item componente da matriz de um domínio foi considerado dentro do fator ou domínio quando o peso do fator foi superior a 0,4.

    Em relação à avaliação do questionário resumido, foi obser- vado que apenas um componente foi o principal, considerando critério autovalores superiores a um.A variância explicada foi de 48,77%, e o alfa de Cronbach, 0,842 (Tabela 3).A análise fato- rial do questionário completo mostrou cinco componentes principais considerando critério autovalores superiores a 1. A variância explicada foi 70,721%, e o alfa de Cronbach encontra- do, 0,935 (Tabela 4).

    DISCUSSÃO

    Não foram encontradas informações a respeito de estudos anteriores que tenham validado um questionário de qualidade de vida específico para pacientes com celulite, fato que inviabi- lizou a previsão da variabilidade das respostas no presente estu- do. Realizou-se, portanto, o cálculo de amostra para a estimati- va de uma proporção, maximizando a variância e considerando 95% de confiança. Esse cálculo de amostra forneceu a estimati- va de 385 pacientes. Iniciou-se, entretanto, um estudo com 100 pacientes e, na sequência, fez-se análise preliminar para verificar o comportamento dos dados e a necessidade da inclusão de maior número de pacientes. Como os dados se mostraram bas- tante consistentes, não houve necessidade de aumentar o tama- nho da amostra.

    A análise fatorial do questionário resumido encontrou fator único, ou domínio, medido em todas as questões.Tal fator foi interpretado como sendo a "celulite". Este único domínio explica a variância de 48,77% e indica que todas as questões do questionário resumido efetivamente se referem à celulite. Observando os componentes da matriz verifica-se que todos possuem valores expressivos, não havendo indicação de excluir alguma das questões.Além disso, o alfa de Cronbach encontra- do (0,842) indica boa consistência interna do questionário resu- mido (Tabela 2).

    A análise fatorial do questionário completo indicou que as questões desse questionário medem cinco fatores ou domínios principais. Observando os componentes da matriz, verifica-se que todas as questões correspondentes ao "modo de vestir" apa- receram juntas no mesmo domínio e com valores expressivos (Tabela 3).As questões referentes ao "lazer" e "atividade física" apareceram juntas no mesmo domínio, indicando que elas devem medir os mesmos parâmetros. Dessas questões envolvi- das, a QB3a e a QB4b provavelmente poderiam ser unidas e compor apenas uma questão devido a sua semelhança, e essas variáveis poderiam ser todas agrupadas em um só domínio, sem distinguir lazer e atividade física.Todas as questões referentes ao "parceiro" apareceram no mesmo domínio, indicando que estão em conformidade com o questionário, assim como, aliás, todas as questões referentes a "mudanças de hábitos cotidianos". As variáveis relacionadas aos "sentimentos", estão, de forma geral, em conformidade aparecendo em domínio distinto, exceto pelas QB5a e QB5b que foram as menos expressivas e não aparece- ram no mesmo domínio que as demais, indicando que poderiam ser modificadas ou excluídas.O alfa de Cronbach de 0,935 indi- cou boa consistência interna do questionário completo.

    O questionário mostrou-se de fácil aplicação, e as pacientes não tiveram dificuldade em compreender as perguntas propostas. O tempo de aplicação foi em média de cinco minutos, sendo bastante razoável para uso clínico e também em pesquisas.

    Futuras comparações do instrumento Celluqol com outros questionários de qualidade de vida em geral deverão ser realiza- das para que se possa correlacionar as alterações da qualidade de vida das pacientes com celulite e a qualidade de vida em geral.

    CONCLUSÃO

    Os autores elaboraram dois questionários de avaliação da qualidade de vida em pacientes do sexo feminino que apresen- taram queixas de celulite. Após as análises para validação, con- cluíram que ambos os questionários podem ser utilizados com eficácia semelhante. Para fins práticos, recomenda-se a versão resumida para uso na clínica diária para pacientes com celulite, para avaliar a celulite como o componente principal de altera- ção da qualidade de vida.

    O questionário completo mostrou cinco componentes principais para a avaliação da qualidade de vidas das pacientes estudadas, sendo recomendado para uso em pesquisas clínicas.

    A aplicação do instrumento mostrou-se fácil e com tempo de aplicação compatível com seu uso na clínica diária dos der- matologistas, assim como nos trabalhos de pesquisa que tenham a celulite como seu foco de avaliação.

    Referências

    1 . Anderson RT, Rajagopalan R. Development and validation of quality of life instrument for cutaneous disease.J Am Acad Dermatol.1997;37(1):41-50.

    2 . Finlay AY, Khan GK. Dermatology Life quality Index (DLQI) - a simple practical measure for routine clinical use. Clin Exp Dermatol. 1994; 19(3): 210-16.

    3 . Mc Kenna SP, Lebwohl M,Kahler KN.Development of the US PSORIQOL: a psoriasis - specific measure of quality of life. Int J Dermatol. 2005; 44(6): 462-69.

    4 . Avram MM.Cellulite: a review of its physiology and treatment. J Cosmet Laser Ther. 2004; 6(4): 181-5.

    5 . Nurnberger F, Muller G. So-called cellulite: an invented disease. J Dermatol Surg Oncol.1978; 4(3):221-9.

    6 . Hexsel DM, Dal''forno T, Hexsel CL. A validated photonumeric cellulite severity scale. J Eur Acad Dermatol Venereol. 2009; 23(5): 523-8.

    7 . Rohrich R. The increasing popularity of cosmetic surgery procedures: a look at statistics in plastic surgery. Plast Reconstr Surg. 2000;106(6): 1363.

    8 . Klassen A, Jenkinson C, Fitzpatrick R, Goodacre T. Patient''s health related quality of life before and after aesthetic surgery. Br J Plast Surg 1996; 49(7): 433-8

    © 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

    GN1 - Sistemas e Publicações