Sociedade Brasileira de Dermatolodia Surgical & Cosmetic Dermatology

GO TO

ISSN-e 1984-8773

Volume 3 Número 1


Voltar ao sumário

 

Artigos Originais

Abordagem nutricional do envelhecimento cutâneo: correlação entre os efeitos em fibroblastos e os resultados clínicos

Nutritional approach to skin aging: correlation between the effects on fibroblasts and clinical results


Flávia Alvim Sant’Anna Addor1

Mestre em dermatologia pela Faculdade
de Medicina da Universidade de São Paulo
(USP) – São Paulo (SP), Brasil; diretora técnica
do Laboratório de Pesquisa Clínica do
Medcin Instituto da Pele – Osasco (SP),Brasil.1

Recebido em: 03/01/2011
Aprovado em: 09/03/2011

Trabalho realizado no Medcin Instituto da
Pele – Osasco (SP), Brasil

Conflitos de interesse: Nenhum
Suporte financeiro: Farmoquímica
Pharmaceutical laboratory S. A.

Correspondência:
Dra. Flávia Alvim Sant’Anna Addor
Alameda Campinas, 159 residencial 04 –
Santana de Parnaíba 06486-110 – São
Paulo – SP
E-mail: flavia@medcinonline.com.br

 

Resumo

Introdução: Alguns alimentos podem ter valor terapêutico na abordagem do fotoenvelhecimento. Objetivo:Avaliar clinicamente a eficácia de um suplemento nutricional na melhora de sinais de fotoenvelhecimento e correlacionar com estudo in vitro. Métodos: Foram avaliadas 48 pacientes com clínica de fotoenvelhecimento em uso de um suplemento nutricional (com cultura para fibroblastos) com observações em 56, 84 e 112 dias.As avaliações foram clínicas e instrumentais (por cutometria). Resultados: Houve melhora progressiva e significativa (p<0,05) da elasticidade, firmeza, linhas finas e aparência geral da pele.A cultura de fibroblastos demonstrou significativa taxa de síntese de colágeno com relação à cultura-controle, após 48 horas de incubação. Discussão: Algumas vitaminas e compostos naturais possuem, em uso oral, propriedades terapêuticas sobre os sinais de fotoenvelhecimento. Este estudo demonstrou que a associação de óleo de linhaça, licopeno, carotenoides , vitamina E, zinco e selênio possivelmente melhoram os sinais de envelhecimento não somente por mecanismos antioxidantes e anti-inflamatórios, mas também por aumento da colagênese. Conclusões: Os suplementos alimentares são aliados no cuidado com a pele fotoenvelhecida.

Palavras-chave: FIBROBLASTOS, ENVELHECIMENTO DA PELE, ANTIOXIDANTES

INTRODUÇÃO

A longevidade é característica atual da humanidade. Dada a maior expectativa de vida, foram desenvolvidas medidas preventivas contra os sinais do envelhecimento visando proporcionar maior qualidade de vida a partir da terceira idade.A pele reflete esses cuidados, evidenciando que todos querem envelhecer com boa aparência.

Essas medidas são tomadas cada vez mais precocemente. O envelhecimento cutâneo – que se caracteriza por declínio funcional celular, com modificações estruturais e repercussões clínicas1 – tem como principal fator a exposição solar e pode ser prevenido em grande parte por comportamento que inclua a fotoproteção.

Da mesma forma, os mecanismos intrínsecos do envelhecimento, como a oxidação celular e o declínio das funções celulares – como imunidade, barreira cutânea e colagênese, entre outras –, podem ser atenuados por algumas substâncias de uso tópico ou oral.

Na abordagem do envelhecimento cutâneo, muito se vem pesquisando a respeito do impacto nutricional sobre a pele dos alimentos com ação antioxidante, bem como dessas substâncias e de sua associação.

O ácido ascórbico e o zinco, por exemplo, atuam de modo sinérgico na preservação e estimulação da função imune cutânea, que declina com a idade e com o estresse, assim como com o dano UV induzido.2

O estudo de alimentos com propriedades terapêuticas gerou a necessidade de nova categorização legal, em que esses alimentos são denominados funcionais.3 A utilização de suplementação alimentar, entretanto, deve observar idealmente indicação e acompanhamento médicos, uma vez que há necessidade educar esses pacientes no sentido de seleção dos nutrientes adequados e de sua utilização em doses seguras.4 O presente trabalho demonstra os efeitos clínicos de uma associação de nutrientes no tratamento de sinais relacionados ao envelhecimento cutâneo, e, no modelo in vitro, o mecanismo celular que está relacionado aos efeitos clínicos.

OBJETIVO

Avaliar os efeitos de suplemento alimentar na melhora clínica de parâmetros relacionados ao envelhecimento cutâneo.

MÉTODOS

O estudo teve duração de 112 dias e envolveu voluntárias do sexo feminino de 30 a 60 anos com envelhecimento cutâneo clinicamente observado.Tratou-se de estudo prospectivo, aberto e cego, realizado em laboratório privado após aprovação por comitê de ética.

Foram convidadas 60 voluntárias com algum grau de envelhecimento e não submetidas a procedimentos cosmiátricos no último mês. Dessas, dez desistiram e duas foram excluídas por não preencher os critérios de inclusão.

As pacientes foram avaliadas clinicamente por dermatologista em relação às variáveis firmeza, elasticidade, linhas finas e aparência geral da pele na avaliação inicial, em 56+2 dias, 84+2 dias e 112+2 dias, além de submetidas à documentacão fotográfica (Visia CR Canfield ®) e medida do microrrelevo cutâneo por análise quantitativa de moldes de silicone, sob microleitura no Skin Visiometer ® (modelo SV500, Courage&Kazhaka). A réplica de silicone é colocada em suporte especifico no equipamento, cuja fonte emite raios de luz paralelos. A luz penetra a réplica e a vizualização é feita por unidade de digitalização e placa gráfica conectada a um computador.5,6

Todas as participantes ingeriram diariamente, até o final do estudo, uma cápsula do suplemento Eximia Temporize® (Herbarium Laboratório Botânico Ltda, Brasil), cada cápsula contendo óleo de linhaça (266,24mg), luteína (4mg), licopeno (5,1mg,) betacaroteno (600mcg), ácido ascórbico (45mg), vitamina E acetato (10mg), zinco (7mg) e selênio (34mcg).

A avaliação estatística foi realizada ajustando os modelos lineares (McCulloch & Searle, 2002) em que o efeito do tempo é avaliado. Utilizou-se o procedimento MIXED do programa SAS, sob sistema operacional LINUX.

RESULTADOS

Das 48 pacientes que iniciaram o estudo, uma foi afastada por relatar prurido no corpo todo e por isso necessitar de medicação. Não houve comprovação de causa e efeito.

Com relação aos efeitos clínicos, todos os itens demonstraram melhora progressiva no tempo de uso em relação à avaliação inicial (D0); os gráficos a seguir demonstram cada percentual de melhora.

O gráfico 1 apresenta os percentuais de melhora ao exame dermatológico no tempo para o atributo elasticidade:

O gráfico 2 demonstra a eficácia no item firmeza/elasticidade no tempo.

Os resultados para linhas finas estão resumidos no gráfico 3.

Finalmente, quanto à aparência geral, os resultados nos tempos estão demonstrados no gráfico 4.

Quanto à rugosidade avaliada quantitativamente pelo Skin visiometer®, os resultados apontaram para queda da rugosidade média da área avaliada, que foi estatisticamente significativa a partir do 56o dia de uso:

Na Avaliação quantitativa por Skin Visiometer da rugosidade média; houve melhora estatisticamente significativa (p<0,05) entre D56 e D84 e D56 e D112 (Gráfico 5).

Avaliação in vitro: atividade nos fibroblastos

Com a intenção de avaliar a ação dessa associação de nutrientes no tecido, foi realizado estudo complementar, in vitro, em cultura de fibroblastos. Foi medida síntese de colágeno, após 48 horas de incubação, contra controle negativo (Gráfico 6).

Esse gráfico demonstra aumento de 22% da síntese de colágeno após 48 horas para a concentração de 0,006% e 29% na concentração de 0,012% do produto em teste, ambas com significância estatística (p<0,05 e p<0,001, respectivamente).

DISCUSSÃO

Além de vitaminas e oligoelementos, alguns alimentos, devido a sua composição, também apresentam propriedades terapêuticas. Exemplo bem documentado é o óleo de linhaça, composto da combinação de várias moléculas, como ácido alfalinolênico, oleico e linoleico, além de ácidos ômega 6, que lhe conferem propriedades moduladoras da inflamação e formação de barreira cutânea, também sendo estudado na cardiologia. 7,8,9 O ácido alfalinolênico é ácido ômega 3 que, juntamente com o acido ômega 6, atua decisivamente na manutenção da barreira cutânea e diferenciação dos estratos córneos.10,11 Há também algumas evidências de que sua utilização interferiria na expressão da proteína p53, auxiliando na prevenção da fotocarcinogênese.12

Embora a pele contenha seu próprio sistema enzimático antioxidante, com a idade verifica-se perda progressiva de sua efetividade.13 A suplementação com luteína, um carotenoide, demonstrou reduzir a inflamação UV mediada em modelo animal. 14

O tocoferol, por sua vez, potente antioxidante, é capaz de atenuar a inflamação por inibir a cicloxigenase 2 (COX-2), importante mediador da inflamação UV induzida.15

O caroteno oral também pode aumentar a expressão do procolágeno, em doses de até 30mg/dia.16

A associação de antioxidantes, como o tocoferol, o betacaroteno e carotenoides, e óleo de linhaça foi observada na pele humana, em estudo com grupo-controle, com melhora significativa da rugosidade em relação ao controle.17

O licopeno, assim como a luteína, encontra grande evidência de literatura como antioxiante. No Brasil, são ambos aprovados como alimentos funcionais por suas propriedades antioxidantes, por via oral. O uso desses compostos como fotoprotetores sistêmicos, reduzindo o dano oxidativo UV induzido, encontra várias evidências na literatura.18

CONCLUSÃO

Os suplementos alimentares, conforme a dose e a associação proposta, são atualmente aliados no cuidado com a pele fotoenvelhecida. Substâncias com ação antioxidante ou antiinflamatória são capazes de prevenir ou mesmo reduzir danos UV induzidos. Substâncias de ação restauradora são capazes de aumentar a expressão de algumas enzimas e proteínas envolvidas no metabolismo e estruturas teciduais, além de reconstituir elementos da barreira cutânea, como os ácidos graxos.

Referências

1 . Aging of skin. In: Freedberg IM, Eisen AZ,Wolff K, Austen KF, Goldsmith LA, Katz S, editors. Fitzpatrick''s dermatology in general medicine.New York:McGraw-Hill; 2003. p. 1386-98.

2 . Immune-enhancing role of vitamin C and zinc and effect on clinical conditions. Ann Nutr Metab. 2006;50(2):85-94.

3 . anvisa.gov.br/alimentos/comissoes/tecno_lista_alega.htm (consultado em 28/02/2011)

4 . Position of the American Dietetic Association: nutrient supplementation. J Am Diet Assoc. 2009;109(12):2073-85.

5 . Perspectives on Bioengineering of the skin.In: Serup J, Jemec G. Handbook of non invasive methods and the skin. Flórida: CRC Press, Boca Raton;1995. p.3-8.

6 . Measurement of transepidermal water loss. In: Cutaneous investigation in health and disease. Non invasive methods and instrumentation. New York:Marcel Dekker Inc.; 1989. p 135-53.

7 . [Biological activity of linseed oil as the source of omega-3 alpha-linolenic acid]. Biomed Khim. 2004;50(1):25-43.

8 . Comparison of the effects of linseed oil and different doses of fish oil on mononuclear cell function in healthy human subjects Br J Nut. 2003; 89: 679-89.

9 . Prolongation of life span in hypertensive rats by dietary interventions. Effects of garlic and linseed oil. Basic Res Cardiol. 1997;92(4):223-32.

10 . Healing fats of the skin: the structural and immunologic roles of the omega-6 and omega-3 fatty acids. Clin Dermatol. 2010;28(4):440-51.

11 . Dietary, but not topical, alpha-linolenic acid suppresses UVB-induced skin injury in hairless mice when compared with linoleic acids. Photochem Photobiol. 2002;76(6):657-63.

12 . Serum omega-3 and omega-6 fatty acids and cutaneous p53 expression in an Australian population. Cancer Epidemiol Biomarkers Prev. 2011;20(3):530-6.

13 . Potentials and limitations of the natural antioxidants RRR-alpha-tocopherol, L-ascorbic acid and beta-carotene in cutaneous photoprotection. Free Radic Biol Med. 1998;25(7): 848-73.

14 . Dietary lutein reduces ultraviolet radiation-induced inflammation and immunosuppression. J Invest Dermatol. 2004;122(2):510-7.

15 . A New Wrinkle on Topical Vitamin E and Photoinflammation: Mechanistic Studies of a Hydrophilic ?-Tocopherol Derivative Compared with a-Tocopherol. J Invest Dermatol. 2006; 126(7):1447-9.

16 . Differential effects of low-dose and high-dose beta-carotene supplementation on the signs of photoaging and type I procollagen gene expression in human skin in vivo.Dermatology. 2010;221(2):160-71

17 . W. Stahl, M. Béjot, J.-M. Maurette. Antioxidant Supplements Improve Parameters Related to Skin Structure in Humans. Skin Pharmacol Physiol. 2006;19(4):224-31.

18 . Non-nutritive bioactive constituents of plants: lycopene, lutein and zeaxanthin. Int J Vitam Nutr Res. 2003;73(2):95-100.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações