Sociedade Brasileira de Dermatolodia Surgical & Cosmetic Dermatology

GO TO

ISSN-e 1984-8773

Artigos
RelacionadosA consulta encontrou: 48 resultado(s)

Voltar ao artigo

 

Artigo de investigação

Classificação do melasma pela dermatoscopia: estudo comparativo com lâmpada de Wood

Classification of melasma by dermoscopy: comparative study with Wood’s lamp

Carla Tamler, Rosa Maria Rabello Fonseca, Francisco Burnier Carlos Pereira, Carlos Baptista Barcauí

Resumo: Introdução: O melasma representa a principal hipermelanose facial, sendo dermatose de considerável impacto psicossocial. Sob a lâmpada de Wood, a profundidade do pigmento melânico determina a fluorescência. Sob o exame dermatoscópico, a cor da melanina varia de acordo com sua localização nas camadas da pele. Objetivo: Avaliar a classificação do melasma através da dermatoscopia e correlacioná-la à classificação sob a lâmpada de Wood. b>Material e métodos: Análise de concordância entre os dois métodos na classificação do melasma. Quarenta pacientes foram avaliados por examinadores experientes através da lâmpada de Wood (Burton®) e dermatoscopia (videodermatoscópio BleyMed-Skincam® aumento 40x) e/ou dermatoscópio manual (3Gen Dermlite II ProHR® 10x), de forma independente. Pela dermatoscopia, considerou-se como tipo epidérmico: coloração acastanhada e rede pigmentar regular; dérmico: coloração cinza azulada e rede irregular, e misto: áreas compatíveis com ambos. Resultados: O grau de concordância entre os métodos foi considerado fraco (k < 0,2) pela análise estatística. Conclusão: Os autores consideraram a dermatoscopia mais apropriada, pois evidenciou de forma objetiva os componentes pigmentares.


Palavras-Chave: CLASSIFICAÇÃO, MELANOSE, DERMOSCOPIA

Artigo de revisão

Em busca dos tratamentos para Striae Rubra e Striae Alba: o desafio do dermatologista

In search of treatments for striae rubra and striae alba: a dermatologists’ challenge

Elisete Isabel Crocco; Patrizia Altomani Mantovani; Beatrice Mussio Fornazier Volpini

Resumo: A estria atrófica cutânea ou striae distensae (SD) é dermatose muito comum, constituindo causa frequente de consulta ao dermatologista. Devido a seu caráter inestético, pode trazer importantes consequências psicossociais e na qualidade de vida. O objetivo do trabalho foi revisar as possibilidades de tratamento preconizadas na literatura para estrias recentes e antigas. Diante da multiplicidade de fatores etiológicos envolvidos, a literatura é divergente e ampla sobre o tratamento.


Palavras-Chave: ESTRIAS DE DISTENSÃO, TERAPÊUTICA, TERAPIA A LASER

Atualização no tratamento de hiperidrose axilar

Axillary hyperhidrosis treatment update

Gabriel Teixeiro Gontijo, Gustavo Vieira Gualberto, Natália Augusta Brito Madureira

Resumo:

Introdução: Hiperidrose axilar é problema comum que pode afetar a vida profissional e social. A história clínica e o exame físico são ferramentas importantes na avaliação da gravidade e para indicação da terapia mais apropriada para cada caso. Existem vários trata- mentos, incluindo terapia tópica e sistêmica, iontoforese, toxina botulínica e procedimen- tos cirúrgicos. Os autores apresentam revisão das opções terapêuticas mais importantes.


Palavras-Chave: HIPERIDROSE, PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS AMBULATÓRIOS, TOXINAS BOTULÍNICAS, TERAPIA A LASER, CONDUTAS TERAPÊUTICAS

Artigos de revisão com notas técnicas do autor

Uso da técnica de indução percutânea de colágeno no tratamento da hiperpigmentação pós-inflamatória

Use of the percutaneous collagen induction technique in the treatment of postinflammatory hyperpigmentation

Sandra Tagliolatto; Nancy Vanessa Paranhos Mazon

Resumo:

Hiperpigmentação pós-inflamatória é sequela comum de dermatoses inflamatórias que tende a afetar com maiores freqüência e gravidade pacientes com fototipos altos. Pode ser causada por qualquer inflamação ou lesão de pele. Terapias tópicas geralmente são eficazes, mas em alguns casos esse tipo de hipercromia se mostra resistente aos tratamentos convencionais. A técnica de indução percutânea de colágeno pode ser usada na hiperpigmentação pós-inflamatória com boa resposta. Descreve-se a experiencia dos autores em um caso desse tipo de hipercromia após queimadura por laser de Alexandrite resistente aos tratamentos convencionais. Com base na revisão de literatura e em nossa experiência clínica sugerimos que a técnica de indução percutânea de colágeno, também conhecida como microagulhamento, possa ser incluída em nosso arsenal terapêutico no tratamento da hiperpigmentação pós-inflamatória cutânea, principalmente quando essa se mostrar resistente aos tratamentos convencionais.


Palavras-Chave: HIPERPIGMENTAÇÃO; TERAPÊUTICA; AGULHAS

Artigos Originais

Estudo de avaliação da eficácia do ácido tranexâmico tópico e injetável no tratamento do melasma

Study evaluating the efficacy of topical and injected tranexamic acid in treatment of melasma

Denise Steiner, Camila Feola, Nediana Bialeski, Fernanda Ayres de Morais e Silva, André César Pessanha Antiori, Flávia Alvim Sant’Anna Addor, Bruno Brandão Folino

Resumo: Introdução: Melasma é uma hipermelanose adquirida de etiologia multifatorial e de tratamento difícil. O ácido tranexâmico (AT) tem sido estudado como alternativa terapêutica. Objetivo: Avaliar a eficácia e a segurança do AT no tratamento de melasma, comparando utilização de microinjeção localizada versus tratamento tópico. Material e Método: Foram selecionadas 18 mulheres com melasma, tratadas por 12 semanas com: Grupo A: aplicação domiciliar tópica de AT 3% 2x ao dia. Grupo B: injeções intradérmicas AT (4 mg/mL) semanais. Antes e após o tratamento, os grupos foram comparados sob os seguintes parâmetros: evolução fotográfica, evolução do MASI, autoavaliação e colorimetria. Resultados: 17 pacientes completaram o estudo. A avaliação fotográfica revelou, no grupo A, melhora em 12,5%, piora em 50% e, em 37,5%, não houve alteração alguma. No grupo B, 66,7% de melhora e 22,2% sem alterações. Em relação ao MASI, houve melhora significativa (p = 0,0026), sem diferença entre os tratamentos (p = 0,6512). Na autoavaliação, no grupo A,37,5% das pacientes classificaram como boa e 50%, como imperceptível. No grupo B, 66,7% classificaram como boa e 33,3%, imperceptível. A avaliação colorimétrica revelou melhora significativa nos tratamentos (p = 0,0008). Conclusão: Embora a avaliação clínica subjetiva tenha demonstrado superioridade do tratamento injetável, na avaliação objetiva, ambos os tratamentos revelaram–se significativamente eficazes, o que indica que o AT é uma nova e promissora opção terapêutica para o melasma.


Palavras-Chave: ÁCIO TRANEXÂMICO, MELASMA, TERAPÊUTICA

Ensaio clínico randomizado sobre a análise comparativa entre excisão de nevos melanocítos intradérmicos por shaving versus excisão em elipse e sutura

Comparative analysis between sutured elliptical excision and shaving of intradermal melanocytic nevi: a Randomized Clinical Trial

Andréa Santos Soares; Ana Paula Dornelles Manzoni; Carla Daniele Amorim de Souza; Magda Blessmann Weber; Tatiane Watanabe; Leandra Camini

Resumo:

Introdução: apesar de os nevos melanocíticos intradérmicos serem lesões benignas, muitos pacientes recorrem ao dermatologista para sua exérese. Entretanto, não existem estudos sobre o melhor método para esse procedimento.
Objetivo: comparar em ensaio clínico randomizado a exérese de nevos melanocíticos intradérmicos na face, por shaving e excisão em elipse com sutura
Métodos: foram selecionados pacientes com nevos melanocíticos intradérmicos na face para os dois métodos, randomicamente. Os resultados foram descritos quanto à satisfação do paciente e aos registros fotográficos avaliados por médico cegado.
Resultados: 18 pacientes foram submetidos à exérese de nevos melanocíticos intradérmicos. A média de tamanho da cicatriz após seis meses foi de 8,11mm para as lesões excisadas por fuso e de 2,92mm para as por shaving (p < 0,05). A média da nota dos pacientes após seis meses foi 9,67 (fuso) e 9,57 (shaving) (p = 0,8). A média pelo médico cegado foi 7,78 (fuso) e 7,86 (shaving) (p = 0,91). Ocorreu recidiva da lesão em 28,6% dos pacientes submetidos ao shaving.
Conclusões: As duas formas de excisão se equivalem quanto à satisfação do paciente e nota dada pela equipe médica quanto aos resultados estéticos da cicatriz. Contudo, a exérese por fuso tem a vantagem de apresentar menor índice de recidiva.


Palavras-Chave: NEVO INTRADÉRMICO; PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS AMBULATORIAIS; PELE; TERAPÊUTICA

Criocirurgia no tratamento do tecido de granulação hipetrófico nas feridas cutâneas

Cryosurgery in the treatment of hypertrophic granulation tissue in cutaneous wounds

Carlos Augusto Zanardini Pereira; Ivo Acir Chermicoski; Valéria Zanela Franzon; Karina Hubner; Miguel Olímpio Anastácio Junior; Ionam Carlos Benazzi

Resumo:

Introdução: A criocirurgia é uma forma segura e eficaz de tratamento que utiliza o nitrogênio líquido para destruição tecidual.
Objetivo: Demonstrar a eficiência da criocirurgia no tratamento do tecido de granulação hipertrófico nas feridas cutâneas.
Métodos: As feridas com tecido de granulação hipertrófico foram tratadas com o nitrogênio em spray aplicado a uma distância de 5cm da área em ângulo de 90º. O tempo de congelamento foi de 02 ciclos de 05 segundos e o número de sessões variou de 01 ou 03. A avaliação dos resultados foi feita através de comparação semanal, clínica e fotográfica, alem de mensuração da área das feridas e do tecido de granulação hipertrófico, através de um planímetro, até que se completasse o processo de cicatrização. Os resultados foram analisados estatisticamente.
Resultados: Foram tratados 20 pacientes com feridas cutâneas localizadas na cabeça, tronco e membros. A média do percentual de redução semanal em relação à área inicial foi de 32,5%. Os resultados tiveram significância estatística.
Conclusões: A criocirurgia é um método prático, de baixo custo e pouco invasivo, podendo ser indicada para o tratamento do tecido de granulação hipertrófico nas feridas cutâneas.


Palavras-Chave: TECIDO DE GRANULAÇÃO; CRIOCIRURGIA; TERAPÊUTICA

Tratamento cirúrgico e seguimento a longo prazo das micoses subcutâneas causadas por fungos demáceos: cromoblastomicose, feoifomicose e eumicetoma

Surgical treatment and long-term follow-up of subcutaneous mycoses caused by dematiaceous fungi: chromoblastomycosis, phaeohyphomycosis and eumicetoma

John Verrinder Veasey; José Antonio Jabur da Cunha; Marina Pipa; Carla Russo Zukanovich Funchal; Rute Facchini Lellis

Resumo:

Introdução: As micoses subcutâneas provocadas por fungos demáceos (MSCFD)são classificadas conforme sua apresentação no tecido: cromoblastomicose com presença de corpúsculos fumagoides, feoifomicose com hifas septadas demáceas e eumicetoma com grãos compostos por hifas septadas demáceas. Diversos tratamentos são propostos, entre eles a exérese cirúrgica. O tratamento cirúrgico é mais indicado nos casos em que há infecção localizada e passível de exérese, com bons resultados terapêuticos e baixa taxa de recidiva.
Objetivo: Apresentar a experiência de um serviço dermatológico no tratamento cirúrgico dos casos de MSCFD, discutindo as abordagens cirúrgicas e seus resultados.
Métodos: Estudo retrospectivo com análise descritiva dos casos atendidos no período de abril de 2014 a dezembro de 2016 em clínica dermatológica da cidade de São Paulo. Foram incluídos todos os casos com diagnóstico de MSCFD que foram submetidos à terapêutica cirúrgica com exérese total da lesão.
Resultados: Foram totalizados sete casos: dois de eumicetoma, um de cromoblastomicose e quatro de feoifomicose. De todos os casos apenas um não foi abordado em regime de centro cirúrgico ambulatorial. Todos evoluíram sem sequelas e sem recidivas no seguimento clínico.
Conclusões: A remoção da lesão cutânea é um boa opção terapêutica nos casos de MSCFD em que o procedimento cirúrgico for viável.


Palavras-Chave: CROMOBLASTOMICOSE; FEOIFOMICOSE; INFECÇÕES BACTERIANAS E MICOSES; MICOSES; MICETOMA; PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS AMBULATORIAIS; PROCEDIMENTOS MÉDICOS E CIRÚRGICOS DE SANGUE; HISTOLOGIA; TERAPÊUTICA

Condilomas anogenitais em crianças: análise descritiva de 20 casos

Anogenital condylomas in children: descriptive analysis of 20 cases

John Verrinder Veasey; Marina Dall'Antonia; Barbara Arruda Fraletti Miguel; Silvia Assumpção Soutto Mayor; Adriana Bittencourt Campaner; Thiago da Silveira Manzione

Resumo:

Introdução: A ocorrência de verruga anogenital em crianças é relativamente infrequente, porém gera angústias para a família e para o médico diante da possível associação com abuso sexual.
Objetivo: Demonstrar casos de verruga anogenital em crianças e opções terapêuticas utilizadas.
Métodos: Estudo retrospectivo descritivo de verrugas anogenitais em menores de 12 anos de idade, com média de idade de quatro anos, atendidos entre 2011 e 2015, em ambulatório público de doenças sexualmente transmissíveis na cidade de São Paulo.
Resultados: Demonstramos 20 casos, sendo 12 crianças do sexo feminino e oito do sexo masculino. A localização preferencial das lesões foi em região perianal (70%), e 30% das crianças apresentavam verruga extragenital. O tratamento de escolha em 65% dos casos foi com medicamentos tópicos (podofilina e imiquimode). O tempo máximo para a cura foi de 20 semanas.
Conclusões: O condiloma anogenital foi mais frequente em meninas, a média de idade foi de quatro anos, a localização mais acometida foi a região perianal e apresentou boa resposta terapêutica com o tratamento tópico de escolha.


Palavras-Chave: CONDILOMA ACUMINADO; VERRUGAS; CRIANÇA; MAUS-TRATOS SEXUAIS INFANTIS; TERAPÊUTICA

Indução percutânea de colágeno com agulhas em cicatrizes após acidentes automobilísticos: correção cosmética e funcional

Percutaneous collagen induction with needles in scars developed after automobile accidents: esthetical and functional correction

Emerson Vasconcelos de Andrade Lima

Resumo:

Introdução: A utilização de técnicas com microagulhas vem adquirindo importância crescente na correção de cicatrizes.
Objetivo: Estudo retrospectivo, descritivo e unicêntrico, avaliando os resultados da indução percutânea de colágeno com agulhas em cicatrizes desenvolvidas após acidentes automobilísticos.
Métodos: Foram considerados registros em prontuários e fotografias padronizadas feitas antes e três meses depois de sessão única de microagulhamento, de nove pacientes com diagnóstico de cicatrizes pós-traumáticas tratados pelo mesmo protocolo. As avaliações clínica e fotográfica do tratamento, de acordo com escala de categorias - muito bom, bom, razoável, ruim -, foram realizadas pelo investigador três meses após o procedimento, quando também foram aplicados questionários de satisfação aos pacientes.
Resultados: Na avaliação clínica e por meio de fotografias, o autor considerou cinco pacientes com resultados muito bons e quatro com resultados bons. 100% dos pacientes relataram satisfação com os resultados.
Conclusões: Observam-se bons resultados cosmético e funcional em cicatrizes após trauma acidental com a utilização da indução percutânea de colágeno com agulha. Não se observaram efeitos adversos, o que nos permite sugerir que o procedimento apresentou bom perfil de segurança.


Palavras-Chave: TERAPÊUTICA; ACIDENTE; CICATRIZES

Tratamento da alopecia androgenética: associação de laser Erbium Glass 1550nm e infiltração de ativos

Androgenetic alopecia treatment: associating 1550nm erbium-glass laser with drug injections of active principles

João Roberto Antonio; Carlos Roberto Antonio; Lívia Arroyo Trídico

Resumo:

Introdução: A alopecia androgenética é a forma mais comum de perda de cabelos em homens e mulheres. As opções de tratamento com medicações são as mais utilizadas atualmente, embora tragam poucos resultados. Recentemente o uso do laser tem sido sugerido para tratar essa entidade. A infiltração de medicação no couro cabeludo também vem crescendo como opção terapêutica, apesar de existirem poucos trabalhos científicos sobre esse tratamento.
Objetivo: Avaliar o resultado do uso do laser de Erbium Glass 1550nm associado à infiltração de ativos (minoxidil, finasterida, fatores de crescimento e complexo vitamínico) para tratamento da alopecia androgenética masculina e feminina.
Métodos: Estudo retrospectivo de pacientes com esse diagnóstico, submetidos a sessões mensais da associação terapêutica proposta. Os resultados foram avaliados por meio de fotografias comparativas realizadas antes e após o período de tratamento e de pesquisa de opinião dos pacientes.
Resultados: Foram tratados 62 pacientes, com sessões, cujo número variou de três a 14; 48,39% dos pacientes apresentaram melhora discreta, e 46,77% melhora importante. A maioria (96,77%) ficou satisfeita com o tratamento. Os pacientes muito satisfeitos realizaram maior número de sessões, em média mais de seis.
Conclusões: A associação de laserterapia com Erbium Glass 1550nm e infiltração de ativos no couro cabeludo é opção eficaz e segura para o tratamento da alopecia androgenética.


Palavras-Chave: ALOPECIA; LASERS; TERAPÊUTICA

Avaliação dos índices de qualidade de vida (MELASQoL e DLQI) e do MASI em pacientes com melasma tratadas com Polypodium Leucotomos

Analysis of melasma quality OF life scales (MELASQoL and DLQI) and MASI in Polypodium Leucotomos treated patients

Andressa Lumi Akabane; Isabella Parente Almeida; João Carlos Lopes Simão

Resumo:

Introdução: Melasma é distúrbio de pigmentação que acomete principalmente mulheres em idade fértil com fototipos elevados. Polypodium leucotomos tem atividade antioxidante, fotoprotetora e imunomodulatória, sendo tratamento adjuvante do melasma. Objetivo: Avaliar a eficácia, em relação à qualidade de vida e à melhora objetiva, do uso de PL no tratamento do melasma. Métodos: Estudo prospectivo e individualizado. Nove voluntárias portadoras de melasma foram submetidas ao tratamento com Polypodium leucotomos durante 45 dias. Escores MELASQoL, DLQI e MASI foram calculados no D0 e no D45. Realizou-se a análise de variância Anova com pós-teste de Tukey para comparação entre D0 e D45 (p < 0,05). Resultados: Todas as pacientes eram do sexo feminino, com média de idade de 37,18 ± 6,78 anos, história familiar de melasma em 55,6%, e fotoexposição desprotegida e uso de estrogênio em 88,9%. Após 45 dias de tratamento com Polypodium leucotomos houve redução significativa do MELASQoL e DLQI (p < 0,05) e melhora do MASI em 55,6% das pacientes. Conclusões: Houve melhora do MASI em 55,6% das pacientes após 45 dias de tratamento. A despeito da discreta melhora no MASI, houve reflexo na melhora dos escores de qualidade de vida (DLQI e MELASQoL).


Palavras-Chave: MELANOSE; POLYPODIUM; INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA; QUALIDADE DE VIDA

Estudo monocêntrico, prospectivo para avaliar a eficácia e a tolerabilidade de formulação cosmecêutica em pacientes com melasma

Monocentric prospective study for assessing the efficacy and tolerability of a cosmeceutical formulation in patients with melasma

Eloisa Leis Ayres; Adilson Costa; Adriana Chaib Ferreira Jorge; José Euzébio Gonçalves Júnior; Miriam Szrajbman; Beatriz Sant'Anna

Resumo:

Introdução: O melasma é doença pigmentar frequente que acomete áreas expostas, principalmente nas regiões frontal e malar. A hidroquinona se mostra ativo eficaz no tratamento da hiperpigmentação; no entanto, devido a problemas com sua tolerabilidade, diversos estudos são conduzidos para desenvolver alternativas terapêuticas com eficácia equivalente.
Objetivo: Avaliar a eficácia e tolerabilidade de formulação cosmecêutica contendo ácido elágico, ácido hidroxifenoxi propiônico, extrato de levedura e ácido salicílico em pacientes brasileiros apresentando melasma leve a moderado.
Métodos: 40 pacientes portadores de melasma leve a moderado na face utilizaram o cosmecêutico duas vezes ao dia, associado a filtro solar durante 90 dias. Foram feitas avaliações subjetivas de eficácia e tolerabilidade, medida do grau Masi e questionário MelasQoL-BP. A avaliação da luminosidade da pele e das características colorimétricas foram obtidas por meio de colorimetria.
Resultados: Após 90 dias de tratamento, observou-se melhora significativa nos parâmetros clínicos avaliados, nos parâmetros colorimétricos, no questionário de qualidade de vida e no escore Masi em 43%. O tratamento se mostrou eficaz sem causar eventos adversos.
Conclusões: A formulação cosmecêutica avaliada demonstrou ser alternativa eficaz à hidroquinona para o tratamento do melasma com excelente perfil de tolerabilidade cutânea.


Palavras-Chave: HIPERPIGMENTAÇÃO; MELANOSE; CLAREADORES

Uso do pycnogenol no tratamento do melasma

The use of pycnogenol in the treatment of melasma

Camila Araujo Scharf Pinto; Manuela Ferrasso Zuchi Delfes; Larissa Montanheiro dos Reis; Luiz Eduardo Garbers; Paola Cristina Vieira da Rosa Passos; Deborah Skusa de Torre

Resumo:

Introdução: Melasma é uma hipermelanose comum, adquirida e de difícil tratamento por ser uma condição refratária e recorrente. O pycnogenol é um potente antioxidante que por possuir ação protetora contra radiação ultravioleta pode apresentar eficácia no tratamento do melasma. Objetivos: Avaliação da efetividade do pycnogenol 100mg/dia no tratamento do melasma. Métodos: Estudo prospectivo, randomizado e intervencional com 31 pacientes. As participantes selecionadas fizeram uso do pycnogenol 100 mg por dia durante 90 dias, bem como de filtro solar. Foram avaliadas quanto a extensão do melasma (MASI - Melasma Area Severity Index) e qualidade de vida (MELASQol - Melasma Quality of life, ambos questionários já validados na literatura. Foi realizado também documentação fotográfica antes e após o tratamento. Resultados: Os resultados de eficácia mostraram uma redução significativa (p<0,05) nos escores para ambas as escalas avaliadas. Segundo a auto-avaliação das participantes 94,4% apresentaram uma melhora clínica. Conclusões: O pycnogenol 50mg demonstrou ser efetivo no tratamento do melasma após a utilização de 2 comprimidos/ dia durante 90 dias. Os resultados para os escores dos questionários foram estatisticamente significantes tanto para área do melasma quanto para qualidade de vida. Além disso, o produto demonstrou ser seguro, dada a baixa incidência de efeitos colaterais.


Palavras-Chave: MELANOSE; QUIMIOPREVENÇÃO; ADJUVANTES FARMACÊUTICOS

Peeling de ácido tricloroacético no tratamento de melanoses actínicas no dorso das mãos: estudo comparativo e randomizado entre dois veículos

Trichloroacetic acid peeling in the treatment of actinic melanosis in the back of the hands: a comparative randomized study between two vehicles

Priscila Regina Orso Rebellato; Luciana Rodrigues Lisboa Faucz; Juliano Vilaverde Schmitt; Camila Araújo Scharf Pinto

Resumo:

Introdução: A melanose actínica é transtorno de pigmentação originado pela ação cumulativa da luz solar na pele, e sua incidência aumenta com o avanço da idade. Objetivo: Considerando a falta de estudos que comparem agentes com igual concentração, porém em veículos diferentes, analisamos os efeitos clínicos de peelings químicos realizados com pasta ou solução de ácido tricloroacético (ATA) 20% no tratamento de melanoses actínicas do dorso das mãos. Métodos: Estudo prospectivo, controlado, randomizado, com 15 pacientes portadoras de melanoses actínicas bilaterais no dorso de mãos. Foram realizadas três sessões mensais de peelings de ATA 20% em pasta em uma das mãos e em solução na outra. Foram avaliados o grau de clareamento por 13 dermatologistas cegados e a satisfação e preferência de método pelas pacientes. Resultados: Não houve preferência por qualquer dos métodos utilizados (p = 0,41), porém, segundo avaliação médica, houve clareamento mais intenso com a pasta (p = 0,01). Apenas a pasta provocou efeitos adversos significativos, afetando quatro das 15 pacientes. Conclusões: Em relação à solução, a pasta de ATA a 20%, quando aplicada por dois minutos no tratamento das melanoses actínicas, demonstrou clareamento mais intenso, porém revelou tendência a causar mais efeitos adversos locais.


Palavras-Chave: ÁCIDO TRICLOROACÉTICO; MELANOSE; MÃOS; ABRASÃO QUÍMICA; PIGMENTAÇÃO DA PELE

Cicatrizes hipertróficas e queloides: tratamento com cirurgia e infiltração de methotrexate - estudo-piloto

Hypertrophic scars and keloids: treatment with surgery and methotrexate injections: a pilot study

Tatiana Gandolfi de Oliveira; Rossana Cantanhede Farias de Vasconcelos; Lilian Mayumi Odo; Marina E.Y. Odo

Resumo: Introdução: Várias modalidades terapêuticas têm sido utilizadas para o tratamentos de queloides e cicatrizes hipertróficas. Objetivo: Tratamento de queloides e cicatrizes hipertróficas com excisão e injeção intralesional de methotrexate. Métodos: Neste estudo aberto de intervenção terapêutica 11 pacientes foram tratados. Exames laboratoriais e fotos foram realizados antes, durante e após tratamento. Após a excisão das lesões, a sutura foi infiltrada com methotrexate a partir do sétimo dia, semanalmente, durante seis meses. A dose semanal foi de 2,5mg/10cm de sutura, e a dose máxima de 5mg por indivíduo. A avaliação foi feita pelo médico e pelo paciente. Resultados: Seis meses após o término do tratamento, não ocorreu recidiva da lesão em cinco casos, houve recidiva parcial em seis casos e nenhuma recidiva total. Não houve alteração dos exames laboratoriais. Conclusões: A dose máxima semanal de 5mg de methotrexate durante seis meses utilizada neste estudo-piloto para tratamento de queloides e cicatrizes hipertróficas é segura e dificulta a recidiva. São necessários mais estudos para complementar este trabalho.


Palavras-Chave: QUELOIDE; CICATRIZ HIPERTRÓFICA; TERAPÊUTICA; PELE.

Correção de assimetrias e discinesias faciais com toxina botulínica tipo A

Correction of facial asymmetries and dyskinesias with botulinum toxin type A

Maria Cristina Cardoso de Mendonça; Maria Gabriela Araújo Lopes; Rosana Rocon Siqueira; Fernanda Queiroz de Oliveira; Gianne Pascoal; Aloísio Carlos Couri Gamonal

Resumo: Introdução: A paralisia facial desencadeia assimetrias e outras modificações faciais funcionais e estéticas, que levam a desordens físicas e psicológicas significativas. A toxina botulínica tipo A, por ser terapêutica segura, eficaz e bem tolerada, torna-se boa opção no tratamento dessas condições. Objetivo: Demonstrar a melhora clínica e o grau de satisfação de pacientes portadores de assimetrias e discinesias faciais, tratados com injeções de toxina botulínica tipo A realizadas por dermatologistas. Métodos: Foram selecionados pacientes com assimetrias e discinesias faciais, no período entre janeiro de 2011 e dezembro de 2013, para receber injeções de toxina botulínica no lado normal da face, visando diminuir a atividade muscular nos casos de hemiparesia facial, ou diretamente nos músculos afetados, em casos de discinesia. As avaliações clínicas e os registros fotográficos nas posições estática e dinâmica foram feitos nos dias da primeira aplicação (D0) e 15 dias após (D15). Cada paciente foi reagendado para uma próxima sessão em até 120 dias. Resultados: Após a aplicação da toxina houve melhora clínica, com suavização das assimetrias e discinesias apresentadas no início do tratamento. Notou-se importante melhora na qualidade de vida dos pacientes, com impacto positivo em diferentes âmbitos de sua vida pessoal. Conclusões: A terapêutica com toxina botulínica tipo A, realizada por dermatologistas com experiência no manejo desse procedimento em outras condições, mostrou ser importante alternativa no tratamento das assimetrias e discinesias faciais.


Palavras-Chave: ASSIMETRIA FACIAL; PARALISIA FACIAL; QUALIDADE DE VIDA; TOXINAS BOTULÍNICAS TIPO A.

Aplicação de peeling de ácido lático em pacientes com melasma - um estudo comparativo

Application of lactic acid peeling in patients with melasma: a comparative study

Juliana Sandin; Tatiana Gandolfi de Oliveira; Viviana Chehin Curi; Ana Carolina Lisboa de Macedo; Fernanda Dias Pacheco Sakai; Rossana Catanhede Farias de Vasconcelos

Resumo: Introdução: O melasma se apresenta como hiperpigmentação que afeta principalmente áreas fotoexpostas, sendo um problema comum. Objetivo: Avaliar a eficácia do peeling de ácido lático a 82% no tratamento do melasma facial mediante trabalho prospectivo e comparativo. Métodos: Procedeu-se à aplicação quinzenal de três sessões de peeling de ácido lático a 82% em 16 pacientes com melasma facial, estando metade em uso da tríplice combinação e metade sem tratamento há 60 dias. O teste de Wilcoxon foi aplicado com objetivo de comparar os valores do índice de área e gravidade de melasma nesses dois grupos. Resultados: O peeling de ácido lático melhorou a hiperpigmentação de todas as pacientes estudadas sem nenhum efeito colateral permanente, demonstrando-se tratamento eficaz. O teste de Wilcoxon mostrou redução significante (p = 0,0003) no índice de área e gravidade de melasma de todas as pacientes. Conclusão: O peeling de ácido lático a 82% pode ser ferramenta importante na melhora do melasma resistente.


Palavras-Chave: ABRASÃO QUÍMICA; TERAPÊUTICA; PELE; ÁCIDO LÁCTICO; HIPERPIGMENTAÇÃO.

Perfil epidemiológico dos pacientes com hipercromia periorbital em um centro de referência de dermatologia do Sul do Brasil

Epidemiological profile of patients with periorbital hyperpigmentation, at a dermatology specialist center in southern Brazil

Cristiane Lüdtke; Daniela Moraes Souza; Magda Blessmann Weber; Aline Ascoli; Fernanda Swarowski; Cíntia Pessin

Resumo: Introdução: A hipercromia periorbital ou "olheira" é queixa comum por interferir na autoestima dos pacientes. Objetivo: avaliar a prevalência de hipercromia periorbital e seus possíveis fatores etiopatogênicos, em amostra populacional de um serviço de dermatologia público e universitário de Porto Alegre. Métodos: Estudo transversal, prospectivo. Questionário de coleta dos dados aplicado em pacientes que se consultaram no Serviço de Dermatologia da UFCSPA entre novembro de 2011 a abril de 2012. Resultados:Total de 220 investigados, com predomínio de mulheres com fototipos 2 e 3, e média de idade de 42,2 anos. O uso de fotoprotetor e de maquiagem corretiva foi visto em 59,8% e 40,4%, respectivamente. Foram observados presença de desvio de septo em 6,8% dos pacientes; ronco à noite, 48,4%; asma, 15,1%; rinite, 44,7%; dermatite atópica, 11,2%; respiração bucal, 20,1%; e outro tipo de alergia, 28,6%. Metade da amostra mencionou dormir de cinco a sete horas por noite.Tabagismo, etilismo e atividade física foram referidos em 19,2%, 32,9% e 42,9%, respectivamente. História familiar de olheiras foi descrita em 63,7%. Conclusões: A hipercromia periorbital predominou em mulheres na quarta década de vida, com fototipos baixos, que referiam uso diário de fotoprotetor, sedentarismo, etilismo, tabagismo, alergias, privação do sono e história familiar de olheira.


Palavras-Chave: OLHOS; QUALIDADE DE VIDA; DERMATOLOGIA.

Estudo duplo-cego e randomizado do peeling de ácido retinoico a 5% e 10% no tratamento do melasma: avaliação clínica e impacto na qualidade de vida

Double-blind randomized study of 5% and 10% retinoic acid peels in the treatment of melasma: clinical evaluation and impact on the quality of life

Geraldo Magela Magalhães, Maria de Fátima Melo Borges, Aline Raissa de Carvalho Queiroz, Ana Andrade Capp, Sabrina Veloso Pedrosa, Michelle dos Santos Diniz

Resumo: Introdução: o melasma é dermatose de alta prevalência que provoca grande impacto na qualidade de vida dos pacientes. Seu tratamento é um desafio. O índice de área e gravidade do melasma – Masi, e o Melasma Quality of Life Scale – MelasQoL são instrumentos úteis na avaliação clínica e do impacto na qualidade de vida, respectivamente. Objetivo: estudar, através do Masi e MelasQoL, o efeito do peeling de ácido retinoico em pacientes portadoras de melasma, comparando as concentrações de 5 e 10%. Métodos: 30 pacientes foram randomizados e submetidos a peelings de ácido retinoico a 5% ou 10% nas semanas 0, 2, 4 e 6.As pacientes foram submetidas à avaliação clínica, através do Masi e à avaliação da qualidade de vida, através do MelasQoL, nas semanas 0 e 8. Resultados: na avaliação global dos dois grupos houve redução estatisticamente significativa de ambos os índices após os tratamentos. Quando se compararam os peelings de ácido retinoico a 5 e 10% não se observou diferença estatisticamente significativa entre as variáveis Masi e MelasQoL. Conclusões: o peeling de ácido retinóico é eficaz e seguro no tratamento do melasma, como tratamento isolado, e não há diferença da melhora quando se comparam as concentrações de 5% e 10%.


Palavras-Chave: MELANOSE, TRETINOÍNA, TERAPÊUTICA, QUALIDADE DE VIDA

Avaliação da eficácia e segurança de um dermocosmético contendo retinaldeído, ácido glicólico e nicotinamida no tratamento do envelhecimento corporal

Efficacy and safety of treating body aging with a dermocosmetic containing retinaldehyde, glycolic acid, and nicotinamide

Sergio Schalka, Bianca Lenci Inácio Viscomi, Patricia Bombarda, Um Sun Park, Vanessa de Melo Cardoso Pereira

Resumo: Introdução: O envelhecimento de áreas corporais fotoexpostas apresenta padrão clínico distinto do fotoenvelhecimento facial. Das opções terapêuticas, a associação do retinaldeído, ácido glicólico e nicotinamida apresenta resultados promissores, segundo diferentes trabalhos publicados. Objetivo: Avaliar a eficácia e a segurança de nova formulação dermocosmética no tratamento do fotoenvelhecimento corporal. Métodos: Estudo clínico prospectivo, aberto e unicêntrico, com avaliação de 60 voluntárias, fototipos I a III, com sinais de fotoenvelhecimento na região do colo. Medidas de avaliação clínica e instrumentais (cutometria, corneometria, evaporimetria e profilometria), foram realizadas nas visitas iniciais, 30 e 60 dias após o uso do produto teste, aplicado no período noturno em associação à aplicação diurna de fotoprotetor. Resultados: Após o uso do produto teste, os parâmetros clínicos categorizados em rugas, maciez, hidratação e flacidez, assim como as medidas biofísicas de hidratação mensuradas por corneometria, apresentaram melhora estatisticamente significante (p < 0,05) nas visitas intermediária e final. Apesar da melhora apresentada, as medidas biofísicas de viscoelasticidade e rugosidade da pele não foram estatisticamente significantes. Conclusões: O uso da nova associação mostrou-se eficiente na melhora clínica do fotoenvelhecimento da região corporal, apresentando-se como alternativa eficaz e segura para essa indicação.


Palavras-Chave: ENVELHECIMENTO DA PELE, COSMÉTICOS, TERAPÊUTICA

Estudo comparativo do tratamento de ceratoses actínicas extensas com peeling de ácido glicólico + 5fluoracil x criopeeling

Comparative study of the treatment of large actinic keratoses with glycolic acid peeling and 5fluorouracil vs. cryopeeling

Laura Yoshizaki Dini, Camila Trindade Stangarlin, André Cesar A. Pessanha, Denise Steiner

Resumo: Introdução: O fotodano intenso e crônico geralmente produz inúmeras queratoses actínicas, sendo importante o tratamento precoce e global da pele acometida. Objetivo: Avaliar a efetividade de dois tratamentos distintos para ceratoses actínicas múltiplas. Métodos: Foram selecionados 5 pacientes com ceratoses actinicas difusas no dorso de mãos e antebraços foram submetidos ao seguinte protocolo: lado A (direito) peeling químico superficial quinzenal com ácido glicólico 70% em gel seguido de solução de 5-fluoracil 5%; lado B (esquerdo) criopeeling mensal. O número de sessões variou de quatro a seis no lado A e de duas a três no lado B, de acordo com o grau de fotodano. Resultados: Todos os pacientes apresentaram resposta clínica satisfatória, com melhora das ceratoses actínicas e de toda área de dano actínico, com boa tolerância dos pacientes ao tratamento, apenas com a ressalva de que ao criopeeling segue-se eritema mais intensoe persistente. Conclusões: As duas terapêuticas utilizadas constituem-se em alternativas válidas e eficazes para tratamento do "campo de cancerização".


Palavras-Chave: CERATOSE ACTÍNIA, TERAPÊUTICA, FLUORURACILA, CRIOTERAPIA

Estudo comparativo do uso de pigmentação exógena como adjuvante à luz intensa pulsada no tratamento de melanoses solares do dorso das mãos

Comparative study of the use of exogenous pigmentation as an adjuvant therapy to Intense Pulsed Light in the treatment of melanoses on the dorsum of the hands

Fernanda Regina Lemos Bebber Douat, Vanessa Cristina Soares, Fernanda H. Mello de Souza Klein, Juliano Vilaverde Schmitt, Deborah Skusa de Torre Ataíde

Resumo: Introdução: O fotodano intenso e crônico geralmente produz inúmeras queratoses actínicas, sendo importante o tratamento precoce e global da pele acometida. Objetivo: Avaliar a efetividade de dois tratamentos distintos para ceratoses actínicas múltiplas. Métodos: Foram selecionados 5 pacientes com ceratoses actinicas difusas no dorso de mãos e antebraços foram submetidos ao seguinte protocolo: lado A (direito) peeling químico superficial quinzenal com ácido glicólico 70% em gel seguido de solução de 5-fluoracil 5%; lado B (esquerdo) criopeeling mensal. O número de sessões variou de quatro a seis no lado A e de duas a três no lado B, de acordo com o grau de fotodano. Resultados: Todos os pacientes apresentaram resposta clínica satisfatória, com melhora das ceratoses actínicas e de toda área de dano actínico, com boa tolerância dos pacientes ao tratamento, apenas com a ressalva de que ao criopeeling segue-se eritema mais intensoe persistente. Conclusões: As duas terapêuticas utilizadas constituem-se em alternativas válidas e eficazes para tratamento do "campo de cancerização".


Palavras-Chave: MELANOSE, MÃOS, PIGMENTAÇÃO, LUZ

Avaliação clínica da eficácia do óleo de andiroba na queimadura pós-depilação com luz intensa pulsada: estudo prospectivo, comparativo e duplo-cego

Clinical evaluation of the effectiveness of andiroba oil in burns caused by hair removal with intense pulsed light: a prospective, comparative and double-blind study

Elen Violeta Souza Santos Cela, Márcia de Britto da Rocha, Tatiana Maciel Gomes, Chang Yung Chia, Camille Furtado Alves

Resumo: Introdução: A depilação com luz intensa pulsada é método de uso corrente, utlizando-se geralmente corticosteroides de baixa ou média potência para o alívio da dor e a reação inflamatória que se seguem ao procedimento. Compostos botânicos, como a emulsão de óleo de andiroba, têm demonstrado efeitos hidratantes e anti-inflamatórios. Objetivo: Como opção aos corticosteroides tópicos, os autores testam a eficácia da emulsão do óleo de andiroba comparando-a à da desonida. Métodos: Foi desenhado estudo prospectivo, comparativo e duplo-cego com nove pacientes do sexo feminino, submetidas à depilação com luz intensa pulsada na região inguinal e tratadas imediatamente após o procedimento com desonida num lado e emulsão de óleo de andiroba no outro lado, aleatoriamente. As pacientes avaliaram a sensação de dor segundo a escala visual analógica de dor, e uma médica dermatologista observadora avaliou a reação inflamatória gerada pelo procedimento, comparando-se os dois lados de forma cega. Resultados: Não houve diferenças significativas no alívio da dor e da reação inflamatória, na comparação dos dois produtos. O potencial analgésico e anti-inflamatório da emulsão do óleo de andiroba praticamente equivaleu ao da desonida. Conclusões: Os resultados deste estudo-piloto indicam que a emulsão do óleo de andiroba pode ser opção no tratamento após a fotoepilação.


Palavras-Chave: QUEIMADURAS, REMOÇÃO DE CABELO, TERAPÊUTICA, GLUCOCORTICÓIDES, UMECTANTES

Barreira cutânea na dermatite atópica: o valor de um limpador adequado

Skin barrier in atopic dermatitis: the importance of an appropriate cleansing agent

Flávia Alvim Sant’Anna Addor, Vanessa de Melo Silva

Resumo: Introdução: A xerose cutânea, comum na dermatite atópica, favorece o prurido e a inflamação. A higiene com tensoativos syndet é suave e preserva a barreira cutânea. Objetivo: Avaliar a tolerância e melhora da xerose da pele com gel de banho especialmente desenvolvido para a pele atópica. Métodos: Avaliaram-se 33 pacientes entre 18 e 50 anos, durante quatro semanas de uso exclusivo; medidas de hidratação, perda de água transepidérmica e pH da superficie cutânea foram feitas no antebraço ao início do estudo, e, após aplicação única, a área foi comparada com a que não foi tratada (antebraço contralateral). Resultados: Todos os pacientes terminaram o estudo; não houve reações adversas. Foram constatados maiores níveis de hidratação e redução da perda de água transepidérmica na área lavada com o gel de banho em comparação à área lavada com água pura, observandose melhora significativa no tempo de duração de prurido, bem como na maciez da pele, além de menor irritação e ressecamento após o uso continuado. Conclusões: A higienização com gel syndet demonstrou não somente preservar a integridade da barreira cutanea no paciente atópico, como também a melhora clínica de sintomas e sinais relacionados à xerose, tais como ressecamento e prurido.


Palavras-Chave: DERMATITE ATÓPICA, HIGIENE DA PELE, PRURIDO, TERAPÊUTICA

Estudo duplo cego comparativo entre hidroquinona e extrato de uva-ursina no tratamento do melasma

Double-blind comparative study of hydroquinone and ursine grape extract in the treatment of melasma

Andréia Mateus Moreira, Bruna Souza Felix Bravo, Adriana Gutstein da Fonseca Amorim, Ronir Raggio Luiz, Maria Cláudia Almeida Issa

Resumo: Introdução: Melasma é hiperpigmentação adquirida e progressiva em áreas fotoexpostas. Seu tratamento continua sendo um desafio por ser dermatose recorrente e refratária. Objetivo: Avaliar a eficácia e segurança do Skin Whitening Complex no tratamento do melasma facial, e compará-lo à hidroquinona. Pacientes e Métodos: Estudo duplo-cego comparativo com 13 mulheres portadoras de melasma.Todas receberam duas formulações diferentes, identificadas como “lado direito da face” e “lado esquerdo da face”, que foram aplicadas duas vezes ao dia durante 90 dias consecutivos. Apenas o farmacêutico responsável tinha conhecimento do conteúdo. Para análise estatística foram realizados os testes de Wilcoxon e ¿2 de McNemar-Bowker. Resultados: Das 13 pacientes, 10 apresentaram melhora clínica global do melasma. Na hemiface tratada com hidroquinona a 4%, a melhora foi total em quatro pacientes, e parcial em seis (p = 0,004). Na hemiface tratada com Skin Whitening Complex 5%, a melhora foi total em duas pacientes, e parcial em seis (p = 0,007). Não houve diferença estatisticamente significativa entre os dois tratamentos (p = 0,223). Conclusões: Embora o tratamento com hidroquinona 4% apresente melhor resultado clínico, não houve diferença estatisticamente significativa entre os dois tratamentos. O SWC 5% mostrou-se eficiente e seguro no tratamento do melasma.


Palavras-Chave: MELANOSE/TERAPIA, HIPERPIGMENTAÇÃO, HIDROQUINONAS

Estudo clínico para a avaliação das propriedades clareadoras da associação de ácido kójico, arbutin, sepiwhite® e achromaxyl® na abordagem do melasma, comparada à hidroquinona 2% e 4%

Evaluation of the whitening properties of combined kojic acid, arbutin, sepiwhite® and achromaxyl® vs. 2% and 4% hydro- quinone in the treatment of melasma

Adilson Costa, Lúcia Helena Fávaro de Arruda, Elisangela Samartin Pegas Pereira, Margareth de Oliveira Pereira, Felipe Borba Calixto dos Santos, Raquel Fávaro

Resumo: Introdução: Melasma é alteração cutânea comum e adquirida, de curso prolongado e tratamento muitas vezes refratário, gerando impacto psicológico negativo na vida dos acometidos.
Objetivos: Avaliar a eficácia, segurança e tolerabilidade da combinação tópica de ácido kójico, arbutin, sepiwhite® e achromaxyl ® em comparação à hidroquinona a 2% e a 4% na abordagem do melasma facial.
Métodos: Estudo clínico mono-cego, comparativo, monocêntrico, com 120 voluntárias, fototipos I a IV de Fitzpatrick, entre 18 e 50 anos de idade, divididas em grupo A (n = 40; Blancy® 2 vezes ao dia), grupo B (n = 40; hidroquinona 2% à noite) e grupo C (n = 40; hidroquinona 4% à noite), que usaram os produtos durante 90 dias consecutivos. Foram realizadas avaliações clínicas (classificação e quantificação do melasma) e fotográficas, além do questionário de impacto à qualidade de vida e avaliação global de eficácia.
Resultados: Cento e duas voluntárias (85%) finalizaram o estudo, (grupo A = 34, grupo B = 33, grupo C = 35). A métrica do Masi teve redução estatisticamente significante ao longo do estudo para os três Grupos (p-valor < 0,001).
Conclusão: O uso tópico da associação de ácido kójico, arbutin, sepiwhite® e achromaxyl ® demonstrou ser eficaz e seguro na abordagem do melasma, apresentando-se como alternativa no arsenal terapêutico dessa dermatose recalcitrante e inestética.


Palavras-Chave: MELANOSE, HIDROQUINONAS, ARBUTINA, QUALIDADE DE VIDA

Celluqol® - instrumento de avaliação de qualidade de vida em pacientes com celulite

A quality of life measurement for patients with cellulite

Doris Hexsel, Magda Blessmann Weber, Maria Laura Taborda, Taciana Dal'Forno, Débora Zechmeister-Prado

Resumo:

Introdução: Após a puberdade, a maioria das mulheres desenvolve algum grau de celulite. O aumento do número de consultas dermatológicas relacionadas ao tratamento da celulite demandou compreensão mais ampla de características, desejos e expectativas desses pacientes com relação à qualidade de vida.
Objetivo: Elaborar e validar instrumento de avaliação da qualidade de vida para pacientes com celulite.
Métodos: O estudo teve duas etapas: a elaboração e a validação dos instrumentos de avali- ação da qualidade de vida. Na segunda etapa, dois questionários foram elaborados e aplica- dos a 100 voluntárias com idade entre 18 e 45 anos, que apresentavam celulite.
Resultados: A confiabilidade dos resultados foi verificada por meio de análise fatorial e Teste a de Cronbach para avaliação estatística. Uma análise fatorial exploratória possibilitou testar a hipótese de que todas as questões do questionário resumido mediam um único domínio ou fator (no caso, celulite) e a hipótese de que cada bloco de questões do questionário completo media um único domínio ou fator entre os parâmetros avaliados (modo de vestir, lazer, atividade física, parceiro, sentimentos e mudança de hábitos cotidianos).
Conclusões: A análise de validação mostrou que ambos os questionários podem ser usados, com grau similar de eficácia.


Palavras-Chave: QUALIDADE DE VIDA, QUESTIONÁRIOS, CELULITE

Estudo-piloto: tratamento de melasma com laser de Erbium fracionado não ablativo (1.540nm)

Treating melasma with (1540 nm) fractional non-ablative erbium laser: a pilot study

Mônica Manela-Azulay, Juliano Borges

Resumo: Introdução: O melasma constitui desordem pigmentar frequente. Apesar disso, o tratamento é frustro, e a doença segue curso indolente. Despigmentantes ainda são a principal forma de tratamento. Recentemente, os lasers surgiram como nova opção.
Objetivo: Determinar de modo preliminar o efeito da fototermólise fracionada não ablativa no melasma resistente.
Métodos: Dez pacientes com melasma resistente foram selecionados. Realizaram-se três sessões, com intervalo mensal, de laser de Erbium fracionado não ablativo de 1.540nm, com ponteira de 15mm. Nenhum outro tratamento foi realizado nos três meses anteriores ou posteriores. A energia utilizada variou entre oito e 15mJ/MB. A duração de pulso foi de 15ms. As respostas foram avaliadas pelo médico pesquisador e pelos pacientes.
Resultados: Sete pacientes concluíram o estudo, tendo os outros três sido afastados devido a efeitos colaterais. Na opinião do médico examinador os sete obtiveram melhora de 50% a 75% um mês depois da última sessão. Para cinco pacientes a melhora em um mês variou de 50% a 75%, e para dois pacientes de 75% a 100%. As impressões prévias se mantiveram após três meses, tanto para o médico examinador quanto para os pacientes.
Conclusões: Apesar dos resultados preliminares satisfatórios, novos estudos tornam-se necessários, no intuito de estabelecer protocolos mais eficientes com seguimento de longo prazo, visando observar possíveis recidivas e eventuais rebotes.


Palavras-Chave: MELANOSE, LASERS, RESULTADO DE TRATAMENTO

Avaliação da eficácia do licopeno, beta- caroteno e Lactobacillus johnsonii no tratamento de manutenção do melasma durante o verão: um estudo comparativo

Efficacy of lycopene, beta-carotene and Lactobacillus johnsonii in the maintenance treatment of melasma during the summer

Fabiana Braga França Wanick, Beatrix Sabóia Zink, Raquel Ferreira Lopes

Resumo: Introdução: O melasma, hipermelanose adquirida bastante freqüente, pode ser tratado com medicamentos tópicos, porem, alguns estudos têm demonstrado que os antioxidantes orais poderiam diminuir os efeitos deletérios da radiação ultravioleta sobre a pele.
Objetivo: Avaliar o resultado da evolução do melasma com o emprego de antioxidantes orais e fotoprotetor anti-UVA/ UVB durante os meses do verão no Rio de Janeiro, época em que a doença recidiva com mais freqüência.
Métodos: Foi realizado um estudo com 68 pacientes com melasma que concordaram em substituir o tratamento anterior pelo proposto. Foram divididas em 2 grupos aleatoriamente: o grupo A fez uso de 1 cápsula/ dia do nutriconcentrado, além do fotoprotetor 3/ 3 horas; o grupo B fez uso apenas do fotoprotetor. Foram fotografadas e avaliadas com base da Escala de Hiperpigmentação de Taylor e no MASI, e os dados submetidos à análise estatística.
Resultados: O estudo teve início em dezembro/ 2010 e término em março/ 2011. O grupo A apresentou redução de 8,5% do melasma pela escala de Taylor e de 19,5% pelo MASI (p<0,001). No grupo B, houve piora do melasma em relação à Escala de Taylor e melhora de 4,6% pelo MASI.
Conclusões: O uso de um nutriconcentrado contendo beta-caroteno, licopeno e Lactobacillus johsonii associado à FPS 60 foi eficaz como tratamento do melasma durante o verão, com significância estatística em relação à redução do Índice de Gravidade e Área do Melasma.


Palavras-Chave: MELANOSE, CAROTENÓIDES, LACTOBACILLUS, PROTOCOLOS CLÍNICOS

Avaliação da melhoria na qualidade de vida de portadoras de melasma após uso de combinação botânica à base de Bellis perennis, Glycyrrhiza glabra e Phyllanthus emblica comparado ao da hidroquinona, medido pelo MELASQoL

Evaluation of quality of life improvement in melasma patients, measured by the MELASQoL following the use of a botanical combination based on Bellis perennis, Glycyrrhiza glabra e Phyllanthus emblica.

Adilson Costa, Margareth de Oliveira Pereira, Thaís Abdalla Moisés, Tatiana Cordero, Ana Roberta Dias Silva, Fabiana T. P. Amazonas, Fabíola Bentivoglio, Elisangela S. Pegas Pereira

Resumo: Introdução: Melasma é hipermelanose comum que afeta principalmente mulheres e gera impacto negativo na qualidade de vida. É doença crônica, recorrente, e diversos tratamentos já foram propostos.
Objetivo: Avaliação da qualidade de vida de mulheres com melasma antes e após o trata- mento,com extratos vegetais ou hidroquinona.,br> Métodos: Trata-se de estudo clínico, fase IV, comparativo, prospectivo, randomizado, mono- cego, monocêntrico, realizado em instituto de pesquisa clínica. Foram randomizadas em dois grupos 56 mulheres, com melasma epidérmico ou misto, entre 18 e 60 anos, fototipos I a IV. Utilizou-se o MELASQoL como instrumento para avaliar a qualidade de vida dos pacientes com melasma, antes e após o uso da associação dos extratos botânicos de Bellis perennis, Glycyrrhiza glabra e Phyllanthus emblica, aplicada duas vezes ao dia (grupo A), em compara- ção com o da hidroquinona 2% aplicada à noite (grupo B). O MASI foi o padrão de eficácia clínica utilizado.
Resultados: Das variáveis do MELASQoL, aparência, frustração, constrangimento e sentir-se menos atraente apresentaram maior impacto negativo na qualidade de vida no início do estu- do. Após 60 dias de uso do produto houve melhora em todos os aspectos do MELASQoL, em ambos os grupos, sem diferenças estatísticas entre eles.
Conclusão: O uso da associação dos extratos botânicos de Bellis perennis, Glycyrrhiza gla- bra e Phyllanthus emblica melhora a autoestima dos pacientes com melasma tanto quanto o da hidroquinona 2%.


Palavras-Chave: MELASMA, QUALIDADE DE VIDA, PHYLLANTHUS EMBLICA

Avaliação clínica e histológica de pacientes com melasma refratário tratadas com laser de érbio: Yag fracionado

Clinical and histological evaluation of patients with refractory melasma treated with fractional Erbium:YAG laser

Giseli de Mattos Diosti, Fabiane Mulinari-Brenner, José Filus Neto, Betina Werner, Alexandre do Nascimento, Flávio Meingast Piva

Resumo: Introdução: Melasma é hiperpigmentação adquirida que afeta primariamente a face, e acomete mais comumente mulheres de pele escura. Diversas são as terapias utilizadas para seu tratamento; seu manejo clínico a longo prazo, entretanto, permanece um desafio.
Objetivos: Avaliar a eficácia do laser de érbio: YAG fracionado, analisar histologicamente as características usuais do melasma e a quantidade de pigmento na epiderme e derme antes e após o tratamento.
Métodos: Dez pacientes foram submetidas a três sessões do laser de érbio: YAG fracionado ablativo com intervalo de um mês de uma para outra. As pacientes foram biopsiadas antes e após o tratamento. Foram realizadas avaliações clínicas subjetivas e objetivas, antes, durante e após o tratamento.
Resultados: Não foi observada melhora do escore Masi ao longo do tratamento. Histologicamente foram observadas hiperpigmentação da camada basal e deposição de pigmento em derme superficial. Em sete casos observou-se redução no grau de hiperpigmentação da epiderme, sem significância estatística.
Conclusões: O tratamento do melasma com o laser de érbio: YAG fracionado ablativo não se mostrou efetivo, apesar de haver tendência a diminuição dos escore Masi e no grau de hiper-pigmentação da epiderme, sugerindo que o laser de érbio: YAG pode ser capaz de melhorar tanto clínica quanto histologicamente o grau de hiperpigmentação da pele.


Palavras-Chave: MELANOSE, LASERS, ERBIO

Avaliação dos métodos de classificação do melasma de acordo com a resposta ao tratamento

Evaluation of melasma classification methods based on response to treatment

Mariana Hammerschmidt, Suelen Mayara Lopes de Mattos, Heliane Sanae Suzuki, Camila Fernanda Novak Pinheiro de Freitas, Maira Mitsue Mukai

Resumo: Introdução: O melasma pode ser classificado, através da lâmpada de Wood e da dermatoscopia, em epidérmico, dérmico e misto. Outros métodos de avaliação são o MASI e o MELASQol.
Objetivos: O objetivo do estudo foi comparar os métodos não invasivos de classificação do melasma de acordo com a resposta ao tratamento.
Métodos: Selecionadas 10 mulheres com melasma, foram submetidas a tratamento com hidroquinona 4% + tretinoína 0,05% + acetato de fluociolona 0,01% durante 90 dias, e avaliadas antes e após o tratamento por: dermatoscopia, lâmpada de Wood, MASI e MELASQol.
Resultados: Não foram encontradas associações significativas entre MASI e classificação dermatoscópica, exame com lâmpada de Wood e MELASQol. O percentual médio de melhora após tratamento por MASI foi de 60,6% e por MELASQol, de 41,1%. À dermatoscopia observaram-se telangectasias na maioria das pacientes (60%), incluídas aquelas sem tratamento prévio.
Conclusões: O MASI e o MELASQol são os instrumentos de avaliação que mais refletem a resposta ao tratamento. A classificação pela lâmpada de Wood não demonstrou correlação com a melhora do MASI. A utilização da dermatoscopia para classificação do melasma necessita de mais estudos, visto que os achados encontrados não se correlacionaram com a resposta esperada ao tratamento.


Palavras-Chave: HIPERPIGMENTAÇÃO, CLASSIFICAÇÃO, TERAPÊUTICA

Estudo do perfil epidemiológico e avaliação pós-cirúrgica de oito casos de tumor glômico

Epidemiological profile and post-surgical evaluation of 8 glomus tumor cases

Leandra Oliveira Teixeira, Ana Luiza Grizzo Peres Martins, Samira Oliveira Teixeira, Sadamitsu Nakandakari

Resumo: Introdução: O tumor glômico é lesão benigna rara que ocorre mais comumente em falanges distais e representa de 1% a 4,5% das neoplasias da mão. O tipo subungueal é mais frequente em mulheres nas terceira e quinta décadas de vida.
Objetivo: Este trabalho objetivou avaliar o perfil epidemiológico de pacientes com tumor glômico, sua satisfação em relação ao tratamento, e a recidiva por retirada incompleta. Método: Estudaram-se os prontuários de oito pacientes com diagnóstico de tumor glômico tratados em serviço de dermatologia de 1992 a 2011 avaliando-se sexo, idade, profissão, região acometida, satisfação do paciente em relação ao tratamento e se houve recidiva.
Resultados: A média de idade dos casos foi de 63 anos, superior à faixa etária descrita pela literatura. A profissão mais relacionada foi "prendas domésticas". Todos os pacientes ficaram satisfeitos com o tratamento do ponto de vista estético. A melhora da dor foi plena em três dos seis pacientes que retornaram para avaliação. Naqueles em que a melhora não foi total, houve recidiva. A taxa de recidiva por retirada incompleta foi de 50%.
Conclusão: Conclui-se a persistência da dor como indicadora de recidiva e percebe-se a efetividade da cirurgia na melhora da dor.


Palavras-Chave: TERAPÊUTICA, TUMOR GLÔMICO, UNHAS

Melasma e laser fracionado não ablativo (1540nm): um estudo prospectivo

Melasma and non-ablative (1540 nm) laser: a prospective study

Denise Steiner, Carla Arantes Bertolucci Buzzoni, Fernanda Ayres de Morais e Silva, André César Antiori Freire Pessanha, Elisangela dos Santos Boeno, Thiago Vinicius Ribeiro Cunha

Resumo: Introdução: Diversos tratamentos têm sido propostos para o melasma porém todos com variáveis limitações. Em 2006 a FDA aprovou a fototermólise fracionada para o tratamento dessa dermatose. Objetivos: Avaliar a evolução clínica, através de métodos objetivos, de pacientes com melasma tratadas isoladamente com a fototermólise fracionada. Métodos: Estudo de intervenção terapêutica, aberto, prospectivo, de 20 pacientes com diagnóstico clínico de melasma. Os critérios de exclusão foram terapia hormonal, uso de retinoides orais, infecções cutâneas, gravidez e amamentação. Foram realizadas três sessões de laser fracionado não ablativo a intervalos de quatro semanas. Os parâmetros utilizados foram: Pulso = 15ms e energia crescente a cada sessão = 8 - 10 - 12J. Masi e colorimetria (com índices ITA, L, a, b) foram os parâmetros de avaliação utilizados antes do tratamento e quatro semanas após sua última sessão. Resultados: Completaram o estudo 18 pacientes do sexo feminino com idade entre 23 e 48 anos e fototipos de II a IV (Fitzpatrick). Realizaram-se o Masi em 17 e a colorimetria nas 18 pacientes. Houve redução estatisticamente significante da escala Masi (p < 0,0001, IC95%) e aumento médio dos índices L (p = 0,0003, IC 95%) e ITA (p = 0,0017, IC 95%) na colorimetria, traduzindo redução da pigmentação. Conclusões: A fototermólise fracionada mostrou-se opção segura e eficaz para o tratamento do melasma, apontando para alternativa a se somar aos tratamentos convencionais.


Palavras-Chave: MELANOSE, LASERS, COLORIMETRIA

Peeling de ácido láctico no tratamento do melasma: avaliação clínica e impacto na qualidade de vida

Lactic acid chemical peel in melasma

Geraldo Magela Magalhães, Maria de Fátima Melo Borges, Patrícia Januzzi Vieira e Oliveira, Daniela Rezende Neves

Resumo:

Introdução: O melasma caracteriza-se por máculas hipercrômicas adquiridas,principal- mente na face,que atingem frequentemente as mulheres,com verdadeira incidência des- conhecida.O objetivo do tratamento é o controle da doença,e várias opções são dispo- níveis.O Índice de área e gravidade do melasma - MASI é medida útil na avaliação clí- nica do melasma,e o Melasma Quality of Life Scale - MELASQoL,instrumento capaz de verificar objetivamente o impacto na qualidade de vida dos pacientes.
Objetivo: avaliar,através do MASIe MELASQoL,o efeito do peeling de ácido láctico em pacientes portadores de melasma.
Métodos: 33 pacientes portadoras de melasma,predominantemente do fototipo IV, foram submetidas a peelings seriados de ácido láctico 85% (solução hidroalcolica,pH=3,5). Foram realizadas avaliação clínica,através do MASI,e avaliação de impacto na qualidade de vida,através do MELASQoL,pré e pós-tratamento.
Resultados: observou-se redução significativa de ambos os índices após tratamento, tendo sido de sete pontos a queda média do MASI.Não foi observada correlação entre a variação do MASIe do MELASQoL,denotando que a melhora clínica nem sempre cor- responde ao grau de expectativa das pacientes em relação ao tratamento.
Conclusões: o peeling de ácido láctico alia efetividade no tratamento do melasma com bom perfil de segurança.


Palavras-Chave: MELANOSE, ÁCIDO LÁCTICO, TERAPÊUTICA, QUALIDADE DE VIDA

Comunicações

Baixa eficácia do uso de solução de hidróxido de potássio a 5% por 28 dias no tratamento de molusco contagioso

Low efficacy in the use of 5% potassium hydroxide solution to treat contagious molluscum

Juliano Vilaverde Schmitt, Helena Zenedin Marchioro

Resumo: O uso da solução de hidróxido de potássio a 5% para tratar molusco contagioso é comum, embora existam estudos discordantes sobre sua eficácia. Avaliamos 10 pacientes entre quatro e 13 anos. O número de lesões iniciais totalizava 141. Após 28 dias de tratamento havia 105 lesões (75% da carga inicial), e nenhuma obteve clareamento total. As lesões persistentes foram curetadas em até duas sessões. De 105 lesões restaram 28. A porcentagem de redução das lesões e a proporção de resolução completa foram superiores para a curetagem (71% x 9%; p = 0,01 / 80% x 0%; p = 0,02).


Palavras-Chave: MOLUSCO CONTAGIOSO, TERAPÊUTICA, CURETAGEM

Diagnóstico por imagem

Dermatoscopia na hiperpigmentação periorbital: uma ajuda no diagnóstico do tipo clínico

Dermoscopy in periorbital hyperpigmentation: an aid in the clinical type diagnosis

Natacha Quezada Gaón; Williams Romero

Resumo: A hiperpigmentação periorbital é motivo frequente de consulta dermatológica e pode apresentar grande impacto na qualidade de vida do paciente. Por vezes, o diagnóstico a olho nu pode deixar dúvidas se a pigmentação é vascular, por deposição de pigmento ou mista. Neste artigo descrevemos as características dermatoscópicas dessas três variantes, o que pode auxiliar na escolha da abordagem terapêutica mais adequada a cada caso.


Palavras-Chave: DERMATOSCOPIA; OLHO; HIPERPIGMENTAÇÃO; QUALIDADE DE VIDA

Educação médica continuada

Hidradenite supurativa: atualização e revisão de suas modalidades terapêuticas

Hidradenitis Suppurativa: update and review of therapeutic modalities

Guilherme Muzy; Elisete Isabel Crocco; Renata Oliveira Alves

Resumo: A hidradenite supurativa é doença inflamatória crônica resultante da obstrução folicular. O quadro recorrente leva à formação de fístulas e cicatrizes, que interferem na qualidade de vidas dos pacientes. A literatura mostra múltiplas modalidades terapêuticas, como antibióticos tópicos e orais, isotretinoína, dapsona, inibidores de TNF-α, finasterida e terapias cirúrgicas convencionais e lasers (CO2, ND:Yag). O artigo traz uma revisão desses tratamentos e suas indicações seguindo os estágios de Hurley, o que permite ao dermatologista mais amplo domínio das diferentes técnicas, podendo, assim conduzir mais adequadamente os pacientes.


Palavras-Chave: HIDRADENITE SUPURATIVA; TERAPÊUTICA; TERAPIA A LASER.

Novas Técnicas

Microinfusão de medicamentos na pele através de máquina de tatuagem

Microinfusion of drugs into the skin with tattoo equipment

Samir Arbache, Carlos Eduardo de Godoy

Resumo: Tatuagem é o resultado da introdução de pigmentos na pele ou em mucosas. Pigmentos são substâncias químicas que se comportam como marcadores ópticos. Sua visualização por transparência epitelial é prova incontestável de que a perfusão cutânea através de microperfurações é procedimento eficaz. Escolheu-se esse método para infundir sulfato de bleomicina em duas pacientes portadoras de lesões queloideanas utilizando os equipamentos e consumíveis empregados por tatuadores profissionais, com adaptações para uso dermatológico de forma asséptica e racional.


Palavras-Chave: EQUIPAMENTO CIRÚRGICO, TERAPÊUTICA, QUELÓIDE, BLEOMICINA

Hidradenite supurativa: V-Y plastia como opção terapêutica

Hidradenitis suppurativa: V-Y plasty as a therapeutic option

Bianca De Franco; Mário Aurélio Borges Fidelis; Raquel Nardelli de Araújo; Mário Chaves Loureiro do Carmo; Solange Cardoso Maciel Costa Silva

Resumo:

Hidradenite supurativa é doença inflamatória crônica, recorrente e debilitante. Sua etiopatogênese envolve oclusão folicular e fatores genéticos, ambientais e imunológicos. O diagnóstico é predominantemente clínico e a abordagem terapêutica é o principal desafio da doença, devido seu impacto na qualidade de vida. Em casos graves a opção cirúrgica é a mais indicada. Não há consenso sobre o tratamento ideal, pois os resultados são variados e o aspecto estético após o procedimento é geralmente desfavorável. O objetivo deste artigo é relatar uma opção cirúrgica com fechamento primário da ferida, cujo resultado estético foi superior ao das técnicas tradicionais.


Palavras-Chave: HIDRADENITE SUPURATIVA; HIDRADENITE; PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS DERMATOLÓGICOS; DERMATOLOGIA; TERAPÊUTICA

Pérolas cirúrgicas

Lesões vasculares tratadas com cerclagem e radiofreqüência

Cerclage and radiofrequency in hemangiomas

Maria Isabel Cárdenas, Luciana de Abreu, Nathalia Anaya, Ana Beatriz Solano Novellino, Joaquim Mesquita Filho

Resumo: Hemangioma capilar é tumor benigno de células endoteliais, comum na infância, com história natural de involução espontânea. As manchas vinho do porto são malformações vasculares constituídas por dilatações capilares e caracterizadas inicialmente por manchas de coloração rosada a vermelho-violácea. Presentes ao nascimento, são habitualmente permanentes, podendo tornar-se espessadas e causar deformidades. Muitos tratamentos têm sido propostos – crioterapia, cirurgia, corticoterapia, radioterapia e laserterapia –, porém envolvem dificuldades técnicas, alto custo, complicações ou resultados inestéticos. Neste trabalho, propõe-se nova associação de técnicas, de fácil execução e baixo custo: a cerclagem percutânea e eletrocirurgia por radiofrequência para tratamento de lesões hipertróficas de origem vascular.


Palavras-Chave: HEMANGIOMA, CIRURGIA, TERAPÊUTICA

Relatos de casos

Tratamento de queloide: comparação entre infiltrações intralesionais com 5-fluorouracil, corticosteroide e 5-fluorouracil associado a corticosteroide

Keloid treatment: comparative intralesional injections of 5-fluorouracil, corticosteroid and 5-fluorouracil combined with corticosteroid

Carolina Okada Zerbini Guimarães, Meire Brasil Parada, Ediléia Bagatin

Resumo: O queloide representa proliferação fibrosa exagerada da pele após injúria. É considerado de difícil tratamento, com baixa eficácia de medidas isoladas, demandando, na maioria dos casos, combinações de técnicas. Descreve-se caso de cicatriz queloidiana na região pubiana em incisão cirúrgica de miomiectomia. A cicatriz foi dividida em três partes tratadas com infiltração intralesional de 5-fluorouracil, corticosteroide e 5-fluorouracil associado a corticosteroide


Palavras-Chave: CICATRIZ, QUELOIDE, TERAPÊUTICA

Peeling de ácido tioglicólico na doença de Schamberg

Thioglycolic acid peeling in Schamberg’s disease

Mariana Hammerschmidt, Arthur Conelian Gentili, Themis Hepp, Maira Mitsue Mukai

Resumo: A doença de Schamberg é dermatose pigmentar progressiva de curso crônico. Apresentamos o uso de peeling de ácido tioglicólico nessa manifestação, com estudo histológico e análise fotográfica. Paciente do sexo feminino, 43 anos, com diagnóstico clínico e histopatológico de doença de Schamberg. Foram realizadas cinco sessões de peeling de ácido tioglicólico 10% em gel com intervalo de 15 dias entre cada sessão. A paciente apresentou significativo clareamento das lesões com melhora clínica de 68,7%. Solubilizante hemossiderínico, o ácido tioglicólico é opção de tratamento, mostrando clareamento das lesões com boa tolerância e poucos efeitos colaterais.


Palavras-Chave: PURPURA, HEMOSSIDERINA, TERAPÊUTICA, HIPERPIGMENTAÇÃO

Tratamento de cicatriz atrófica em paciente asiático com laser fracionado não ablativo Er: Glass 1550nm

Treatment of atrophic scar in Asian patient with non-ablative fractional 1,550 nm Er: Glass laser

Elisete Isabel Crocco; Nicole Matos Costa

Resumo: A fototermólise fracionada foi desenvolvida como alternativa aos lasers ablativos, efetivos e com alto risco de complicações, e aos lasers não ablativos, de eficácia limitada. Tem sido utilizada com bons resultados em diversas condições dermatológicas. Relata-se o caso de paciente com cicatriz atrófica secundária a trauma, localizada na região paranasal esquerda, que foi tratado com laser fracionado não ablativo Erbium Glass de 1550nm e evoluiu com melhora importante da lesão.


Palavras-Chave: LASERS, TERAPÊUTICA, CIRURGIA, ATROFIA

Lipoatrofia facial secundária a paniculite lúpica corrigida com ácido hialurônico - Relato de caso

Facial lipoatrophy secondary to Lupus Panniculitis corrected with hyaluronic acid – a case report

Natacha Quezada Gaón; Cristian Vera-Kellet; Alvaro Abarzúa

Resumo:

Paciente do sexo feminino, de 47 anos, com paniculite lúpica facial, sem atividade da doença há mais de um ano. A grande atrofia malar e temporomandibular provocada pela patologia transformou-se em grande problema para a paciente produzindo impacto em sua qualidade de vida. Procedeu-se a preenchimento com ácido hialurônico através de microcanulas, compensando o defeito com resultados estéticamente adequados.


Palavras-Chave: ÁCIDO HIALURÔNICO; PANICULITE DE LÚPUS ERITEMATOSO; QUALIDADE DE VIDA

Padrão de repigmentação em um paciente com vitiligo após a utilização de células tronco

Repigmentation pattern in a vitiligo patient after autologous stem cells implantation

Fernanda Zanenga Varaschin; Carlos Alexandre Ayoub; Nelson Foresto Liezer; Maria Eugenia Torres Di Luciano

Resumo:

Vitiligo é desordem de hipopigmentação caracterizada pela destruição seletiva de melanócitos epidérmicos funcionais e por máculas e manchas despigmentadas circunscritas. Vitiligo afeta de 0,5% a 2% da população e não é observada preferência por sexo e etnia. Os objetivos do tratamento são repigmentação das lesões e estabilização do processo de despigmentação. Relatamos o caso de uma paciente de 53 anos de idade submetida à terapia experimental com células-tronco autólogas isoladas do folículo piloso e expandidas biologicamente. Foram realizadas três sessões com três meses de intervalo. A área afetada apresentou repigmentação importante.


Palavras-Chave: CÉLULAS-TRONCO; VITILIGO; TERAPÊUTICA

Imunoterapia tópica no tratamento da alopecia areata: a importância da fase de manutenção - relato de dois casos

Topical immunotherapy in the treatment of alopecia areata: the importance of the maintenance phase - report of two cases

Thaís Martins Tonso; Caroline Romanelli; Ana Laura Rosifini Alves Rezende; Cínthia Mendes; Ana Helena Kalies Oliveira

Resumo:

A alopecia areata é afecção autoimune relativamente comum. Tem curso imprevisível e etiologia ainda não elucidada por completo. Seu tratamento deve ser individualizado, e visa suprimir a fase de atividade da doença. Para tal, estão disponíveis numerosas alternativas, porém, até então, nenhuma delas se mostrou curativa ou preventiva. Relatam-se aqui os casos de duas pacientes, com 18 e 43 anos, com diagnóstico de alopecia areata, submetidas à imunoterapia tópica com difenciprone, tendo obtido resultados díspares. São descritos os procedimentos de aplicação, os resultados obtidos e o seguimento clínico.


Palavras-Chave: TERAPÊUTICA; IMUNOTERAPIA; ALOPECIA EM ÁREAS; DOENÇAS AUTOIMUNES


Facebook Twitter Linkedin

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações