Sociedade Brasileira de Dermatolodia Surgical & Cosmetic Dermatology

GO TO

ISSN-e 1984-8773

Questoes e Gabaritos

Voltar ao sumário

 

 

Anatomia da face aplicada aos preenchedores e à toxina botulínica – Parte I


 

1. Qual a importância do ligamento palpebral medial e lateral quando se abordam as técnicas de preenchimento na região da goteira lacrimal e na goteira palpebral inferior lateral?
a. Presença de complexo vascular que pode causar sérias complicações, como a amaurose.
b. Presença de bolsas de gordura que podem ser exacerbadas levando a grande edema das pálpebras.
c. Presença de intenso sistema linfático que pode prejudicar a drenagem das pálpebras.
d. São responsáveis pela sustentação da região palpebral e seu preenchimento pode levar à ptose das bolsas de gordura
e. Impedem a progressão do preenchedor para as porções látero superiores e médio superiores da região periocular.
2. Na região parotideomassetérica a pele adere intimamente às fibras dos músculos risório e platisma.
Os ramos do nervo facial e o ducto da parótidaestão localizados (A). Quando se procedem a tratamentos na região parotídea, deve-se lembrar que o ducto se encontra (B).
a. (A). numa posição posterior ao SMAS e anterior ao masseter e à gordura bucal. (B). abaixo da linha que se forma juntando o ângulo da boca ao tragus.
b. (A). numa posição anterior ao SMAS e anterior ao masseter e à gordura bucal. (B). abaixo da linha que se forma juntando o ângulo da boca ao tragus.
c. (A). numa posição posterior ao SMAS e ao masseter e à gordura bucal. (B). abaixo da linha que se forma juntando o ângulo da boca ao tragus.
d. (A). numa posição posterior ao SMAS e anterior ao masseter e à gordura bucal. (B). acima da linha que se forma juntando o ângulo da boca ao tragus.
e. (A). numa posição posterior ao SMAS e posterior ao masseter e à gordura bucal. (B). abaixo da linha que se forma juntando o ângulo da boca ao tragus.
3. Em relação à divisão da face por segmentos pode-se afirmar que:
a. O terço superior tem como limites a linha imaginária traçada a partir do tragus até a asa nasal, que circunda a proeminência malar e o arco zigomático até a asa nasal. Já o terço médio representa a região que fica entre a linha anterior e uma linha imaginária do tragus até o ângulo da boca e circunda margem do lábio superior.Quanto ao terço inferior, seu limite vai da linha acima até a margem mandibular, circundando a borda do lábio inferior.
b. O terço superior tem como limites a linha imaginária traçada a partir do tragus até o canto externo dos olhos, que circunda os cílios da pálpebra inferior e segue delimitando a raiz nasal até a linha supraciliar. Já o terço médio representa a região que fica entre a linha anterior e uma linha imaginária do tragus até o ângulo da boca que circunda o lábio inferior. Quanto ao terço inferior, seu limite vai da linha acima até a margem mandibular, circundando a borda do lábio inferior
c. O terço superior tem como limites a linha imaginária traçada a partir do tragus até a asa nasal, que circunda a proeminência malar e o arco zigomático até a asa nasal. Já o terço médio representa a região que fica entre a linha anterior e uma linha imaginária do tragus até a margem do lábio inferior.Quanto ao terço inferior, seu limite vai da linha acima até a margem mandibular, circundando a borda do lábio inferior.
d. O terço superior tem como limites a linha imaginária traçada a partir do tragus até o canto externo dos olhos, que circunda os cílios da pálpebra inferior e segue delimitando a raiz nasal até a linha supraciliar. Já o terço médio representa a região que fica entre a linha anterior e uma linha imaginária do ângulo da mandíbula até o ângulo da boca, que circunda a margem do lábio inferior. Quanto ao terço inferior, seu limite vai da linha acima até a margem mandibular, circundando a borda do lábio inferior.
e. O terço superior tem como limites a linha imaginária traçada a partir do tragus até o canto externo dos olhos, que circunda os cílios da pálpebra inferior e segue delimitando a raiz nasal até a linha supraciliar. Já o terço médio representa a região que fica entre a linha anterior e uma linha imaginária do tragus até o ângulo da boca, que circunda a margem do lábio superior.Quanto ao terço inferior, seu limite vai da linha acima até a margem mandibular, circundando a borda do lábio inferior.
4. A localização ideal da proeminência da região malar é... (A) inferior ao canto externo do olho. Quando há deficiência nessas medidas há alongamento da maxila, muitas vezes pode haver também nesses casos ... (B) do terço médio da face. O triângulo submalar é uma área triangular invertida de depressão do terço médio da face e limitado superiormente pela proeminência do zigoma,medialmente pelo sulco nasolabial e lateralmente ... (C).
a. (A) 10mm lateral e 15mm (B) a falta de projeção (C) pelo corpo do músculo masseter.
b. (A) 15mm lateral e 25mm (B) a falta de projeção (C) pelo corpo do músculo masseter.
c. (A) 10mm lateral e 15mm (B) excesso de projeção (C) pelos músculos zigomáticos maior e menor.
d. (A) 15mm lateral e 25mm (B) a falta de projeção (C) pelos músculos zigomáticos maior e menor.
e. 10mm lateral e 15mm (B) a falta de projeção (C) pela borda inferior do músculo risório.
5. Os olhos se localizam nas duas cavidades ósseas orbitárias, e ela é subdividida em bordas (A) .... O osso frontal forma a borda superior ou supraorbital.A incisura supraorbital (ou forame, em alguns crânios) que aloja o nervo e vasos supraorbitais se encontra (B) ....A borda supraorbital termina lateralmente no processo zigomático do osso frontal e em cada borda supraorbital, o osso frontal direciona-se posteriormente, como parte orbital que forma a maior parte do teto da órbita correspondente.A borda lateral é formada pelos ossos zigomático e frontal.A borda inferior é formada (C) ....Abaixo da borda inferior da órbita na linha da pupila, a maxila apresenta uma abertura, o forame infraorbitá-
rio, que dá passagem ao nervo e à artéria infraorbitais.
a. (A) superior,lateral,inferior e medial.(B) na sua porção medial e ainda, medialmente à incisura,a borda é cruzada pelo nervo e vasos supratro- cleares.(C) pela maxila e o zigomático,e a borda medial da órbita pelas maxilas,lacrimal e frontal.
b. (A) superior e inferior. (B) em sua porção medial, e ainda medialmente à incisura. (C) pela maxila e o zigomático, e a borda medial da órbita pelas maxilas e lacrimal.
c. (A) superior e inferior. (B) em sua porção medial, e ainda lateralmente à incisura, a borda é cruzada pelo nervo e vasos supratrocleares. (C) pela maxila e o zigomático, e a borda medial da órbita pelas maxilas e lacrimal.
d. (A) superior, lateral, inferior e medial. (B) em sua porção medial, e ainda medialmente à incisura, a borda é cruzada pelo nervo frontal e vasos orbitários. (C) pela maxila e o zigomático, e a borda medial da órbita pelas maxilas, lacrimal e frontal.
e. (A) superior, lateral, inferior e medial. (B) em sua porção medial, e ainda medialmente à incisura, a borda é cruzada pelo nervo frontal e vasos supratrocleares. (C) pela maxila e o zigomático, e a borda medial da órbita pelas maxilas e lacrimal.
6. A técnica descrita para os iniciantes, para que se respeitem diferentes angulações para a introdução da agulha para introduzi-la na derme superficial,média ou profunda ainda é válida,mas o conceito deve ser entendido em termos milimétricos para o aprimoramento da técnica de todos os profissionais. Segundo Arletti (2008) consideramos verdadeiras as medidas aproximadas abaixo:
a. Ele descreve que a espessura da derme retirada na região do sulco nasolabial é de 1,32 e 1,55mm e ainda considera que o diâmetro da agulha utilizada normalmente para a injeção dos preenchedores fica entre 0,3 e 0,4mm, e que o bisel da agulha tem comprimento entre 0,75 e 0,95mm. Questiona-se, portanto, que, em sua maioria, os preenchedores têm sido injetados abaixo da derme, mesmo por médicos experientes.
b. Ele descreve que a espessura da derme retirada na região do sulco nasolabial é de 2,32 e 3,55mm e ainda considera que o diâmetro da agulha utilizada normalmente para a injeção dos preenchedores fica entre 0,3 e 0,4mm, e que o bisel da agulha tem comprimento entre 0,75 e 0,95mm. Questiona-se, portanto, que, em sua maioria, os preenchedores têm sido injetados dentro da derme, mesmo por médicos experientes.
c. Ele descreve que a espessura da derme retirada na região do sulco naso- labial é de 1,32 e 1,55mm e ainda considera que o diâmetro da agulha utilizada normalmente para a injeção dos preenchedores fica entre 0,1 e 0,6mm, e que o bisel da agulha tem comprimento entre 0,75 e 0,95mm. Questiona-se, portanto, que, em sua maioria, os preenchedores têm sido injetados acima da derme, mesmo por médicos experientes.
d. Ele descreve que a espessura da derme retirada na região do sulco nasolabial é de 2,32 e 3,55mm e ainda considera que o diâmetro da agulha utilizada normalmente para a injeção dos preenchedores fica entre 0,3 e 0,4mm, e que o bisel da agulha tem comprimento entre 0,75 e 2,95mm. Questiona-se, portanto, que, em sua maioria, os preenchedores têm sido injetados abaixo da derme, mesmo por médicos experientes.
e. Ele descreve que a espessura da derme retirada na região do sulco nasolabial é de 1,32 e 2,55mm e ainda considera que o diâmetro da agulha utilizada normalmente para a injeção dos preenchedores fica entre 0,3 e 0,4mm, e que o bisel da agulha tem comprimento entre 0,15 e 0,95mm. Questiona-se, portanto, que em sua maioria, os preenchedores têm sido injetados dentro da derme, mesmo por médicos experientes.
7. Escolha a alternativa correta:
a. A gordura ocular suborbicular (sub orbicular ocular fat – SOOF) encontra-se sobre a porção mais inferior do corpo do osso zigomático e abaixo do músculo.As bolsas malares podem ser decorrentes da ptose da Soof e se localizam abaixo do nível da margem orbital.O ligamento lateral age como uma barreira, impedindo a dispersão do preenchedor além dele.
b. A gordura ocular suborbicular (sub orbicular ocular fat – SOOF) encontra-se sobre a porção mais inferior do corpo do osso zigomático e sobre o músculo.As bolsas malares podem ser decorrentes da ptose da SOOF e se localizam abaixo do nível da margem orbital.O ligamento lateral age como uma barreira, impedindo a dispersão do preenchedor além dele.
c. A gordura ocular suborbicular (sub orbicular ocular fat – SOOF) encontra-se sobre a porção mais inferior do corpo do osso zigomático e abaixo do músculo.As bolsas malares podem ser decorrentes da ptose da SOOF e se localizam sobre o nível da margem orbital.O ligamento lateral age como uma barreira, impedindo a dispersão do preenchedor além dele.
d. A gordura ocular suborbicular (sub orbicular ocular fat – SOOF) encontra-se sobre a porção mais inferior do corpo do osso zigomático e abaixo do músculo.As bolsas malares podem ser decorrentes da ptose da SOOF e se localizam sobre o nível da margem orbital.O ligamento medial age como uma barreira, impedindo a dispersão do preenchedor além dele.
e. A gordura ocular suborbicular (sub orbicular ocular fat – SOOF) encontra-se sobre a porção mais inferior do corpo do osso zigomático e sobre o músculo.As bolsas malares podem ser decorrentes da ptose da SOOF e se localizam abaixo do nível da margem orbital.O ligamento medial age como uma barreira, impedindo a dispersão do preenchedor além dele.
8. Os olhos se localizam nas duas cavidades ósseas orbitárias que são
subdivididas em bordas superior, lateral, inferior e medial. O osso
frontal forma a borda superior ou supraorbital. A incisura ou
__________, que aloja o nervo e vasos __________, se encontra em sua
porção medial e, medialmente à incisura, a borda está cruzada pelo
nervo e vasos ___________.A borda supra-orbital termina lateralmen-
te no processo zigomático do osso frontal, e em cada borda supraor-
bital, o osso frontal se direciona posteriormente.A borda lateral é for-
mada pelos ___________. A borda inferior é formada pela maxila e
pelo zigomático, e a borda medial da órbita, pelas maxilas, lacrimal e
frontal.Abaixo da borda inferior da órbita na linha da pupila, a maxi-
la apresenta uma abertura, o forame infraorbitário, que dá passagem
ao nervo e à artéria __________.
a. Forame supraorbital, supraorbitais, supratrocleares, pelos ossos zigomático e frontal, infraorbitais
b. Forame infraorbital, supraorbitais, infratrocleares, pelos ossos zigomático e temporal, infraorbitais
c. Forame infraorbital, supraorbitais, infratrocleares, pelos ossos zigomático e parietal, infraorbitais
d. Forame infraorbital, supraorbitais, supratrocleares, pelos ossos zigomático e temporal, infraorbitais
e. Forame supraorbital, supraorbitais, supratrocleares, pelos ossos nasal e frontal, infraorbitais
9. O osso malar (zigomático) forma a proeminência da face situando-
se na borda inferior e lateral da órbita e repousando sobre a maxila. É
constituído por superfície lateral na face, superfície orbital que contri-
bui para a parede lateral da órbita e superfície temporal localizada na
fossa temporal.O processo frontal se articula com o processo zigomá-
tico do osso frontal, e o processo temporal se articula com o proces-
so zigomático do osso temporal. Na porção lateral, o osso zigomáti-
co está perfurado pelo pequeno forame ______________ dá passagem
para o nervo do mesmo nome.A anestesia desse local facilita o preen-
chimento e escultura da região malar.
Na porção lateral, o osso zigomático é perfurado pelo pequeno nervo
de mesmo nome. A anestesia desse local facilita ________________.
a. Forame zigomático facial, o preenchimento e escultura da região malar.
b. Forame zigomático facial, o preenchimento e escultura da região nasal lateral.
c. Forame mandibular facial, o preenchimento e escultura da região malar
d. Forame malar e nasal facial, o preenchimento e escultura da região malar e nasal.
e. Nenhuma dessas respostas.
10. A maior proeminência da mandíbula, dirigida lateralmente, é
denominada gônion, e a sínfise do mento é a região mediana da man-
díbula (A).A borda inferior da mandíbula é denominada base, e a fossa
digástrica é depressão irregular na base ou próximo à sínfise (B). A
quatro centímetros antes do ângulo da mandíbula, a base pode apre-
sentar um sulco por onde passa a artéria facial (percebe-se a pulsação
da artéria)(C). A superfície lateral do ramo da mandíbula em que ela
se encontra aplainada ocorre na inserção do músculo masseter(D).
a. Todas são verdadeiras.
b. Todas são falsas.
c. Só o item C é verdadeiro.
d. Só os itens A e C são verdadeiros.
e. Só o item C é falso.

Gabarito do número anterior

1. A 2. B 3. C 4. D 5. C 6. B 7. A 8. E 9. B 10. C
© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações