Sociedade Brasileira de Dermatolodia Surgical & Cosmetic Dermatology

GO TO

ISSN-e 1984-8773

Artigos
RelacionadosA consulta encontrou: 7 resultado(s)

Voltar ao artigo

 

Artigo de revisão

Afinamento do terço inferior da face com uso de toxina botulínica no músculo masseter

Thinning of the lower third of the face using botulinum toxin in the masseter muscle

Bruna Souza Felix Bravo; Laila Klotz de Almeida Balassiano; Camila Roos Mariano da Rocha; Julien Totti de Bastos; Priscila Mara Chaves e Silva; Bruno Messias Pires de Freitas

Resumo:

A largura do terço inferior da face tem como principais determinantes o tamanho e a forma do osso mandibular, a espessura do músculo masseter e o volume de tecido celular subcutâneo adjacente. Culturalmente o que é considerado ideal para a face masculina é terço inferior mais largo e ângulo mandibular mais reto, enquanto a face feminina deve apresentar aspecto mais oval ou em coração, com a largura do terço médio da face maior do que a do terço inferior. Para atingir essas medidas esteticamente ideais a toxina botulínica tipo A (BoNTA) tem sido utilizada com sucesso através de sua aplicação no músculo masseter, um dos determinates da largura do terço inferior da face. Dessa forma, este artigo faz uma revisâo do que a literatura atual descreve com o uso da toxina botulínica para essa finalidade, complementando com a experiência dos autores nessa prática para a obtenção de um contorno facial mais harmonioso.


Palavras-Chave: TOXINAS BOTULÍNICAS TIPO A; MÚSCULO MASSETER; HIPERTROFIA

Artigos Originais

Estudo de prognóstico do vitiligo na gestação

A study of the prognosis of vitiligo during pregnancy

Gerson Delatorre, Carlos Alberto Bruno Mendes de Oliveira, Talitha Possagno Chaves, Renata Falkenbach Von Linsingen, Caio Cesar Silva de Castro

Resumo: Introdução: O vitiligo é desordem pigmentar com grande potencial de desfiguração cosmética e impacto emocional nos pacientes, especialmente no período gestacional. O prognóstico das doenças autoimunes na gestação é variável, não tendo sido encontrados, em nossa revisão, trabalhos avaliando o prognóstico do vitiligo no período gestacional. Objetivo: Avaliar o comportamento do vitiligo na gestação e período pós-parto. Métodos: Foi realizado estudo descritivo tipo inquérito transversal, em que a população, composta por 86 mulheres com diagnóstico de vitiligo, respondeu a um questionário padronizado. Resultados: Dentre as mulheres incluídas, apenas 28 pacientes (43,07%) apresentavam o diagnóstico de vitiligo na vigência de alguma gestação, totalizando 57 gestações (33,92%) com vitiligo. Em relação ao comportamento do vitiligo durante a gestação, houve piora do vitiligo em dez gestações (17,54%), estabilidade em 38 (66,66%) e melhora em sete (12,28%). Quanto à evolução do vitiligo no período de seis meses após o parto, 16 (28,07%) obtiveram piora da doença, 36 (63,15%) permaneceram estáveis, e três (5,26%) melhoraram. Em duas gestações (3,50%) a paciente não soube informar o comportamento da doença. Conclusão: A maioria das pacientes permaneceu com o vitiligo estável durante a gravidez, assim como no período de seis meses após o parto.


Palavras-Chave: VITILIGO, PROGNÓSTICO, GRAVIDEZ

Estudo de avaliação da eficácia do ácido tranexâmico tópico e injetável no tratamento do melasma

Study evaluating the efficacy of topical and injected tranexamic acid in treatment of melasma

Denise Steiner, Camila Feola, Nediana Bialeski, Fernanda Ayres de Morais e Silva, André César Pessanha Antiori, Flávia Alvim Sant’Anna Addor, Bruno Brandão Folino

Resumo: Introdução: Melasma é uma hipermelanose adquirida de etiologia multifatorial e de tratamento difícil. O ácido tranexâmico (AT) tem sido estudado como alternativa terapêutica. Objetivo: Avaliar a eficácia e a segurança do AT no tratamento de melasma, comparando utilização de microinjeção localizada versus tratamento tópico. Material e Método: Foram selecionadas 18 mulheres com melasma, tratadas por 12 semanas com: Grupo A: aplicação domiciliar tópica de AT 3% 2x ao dia. Grupo B: injeções intradérmicas AT (4 mg/mL) semanais. Antes e após o tratamento, os grupos foram comparados sob os seguintes parâmetros: evolução fotográfica, evolução do MASI, autoavaliação e colorimetria. Resultados: 17 pacientes completaram o estudo. A avaliação fotográfica revelou, no grupo A, melhora em 12,5%, piora em 50% e, em 37,5%, não houve alteração alguma. No grupo B, 66,7% de melhora e 22,2% sem alterações. Em relação ao MASI, houve melhora significativa (p = 0,0026), sem diferença entre os tratamentos (p = 0,6512). Na autoavaliação, no grupo A,37,5% das pacientes classificaram como boa e 50%, como imperceptível. No grupo B, 66,7% classificaram como boa e 33,3%, imperceptível. A avaliação colorimétrica revelou melhora significativa nos tratamentos (p = 0,0008). Conclusão: Embora a avaliação clínica subjetiva tenha demonstrado superioridade do tratamento injetável, na avaliação objetiva, ambos os tratamentos revelaram–se significativamente eficazes, o que indica que o AT é uma nova e promissora opção terapêutica para o melasma.


Palavras-Chave: ÁCIO TRANEXÂMICO, MELASMA, TERAPÊUTICA

Correlação entre o efeito hidratante da ureia em diferentes concentrações de aplicação: estudo clínico e corneométrico

THE SKIN MOISTURIZING EFFECTS OF DIFFERENT CONCENTRATIONS OF UREA: A CLINICAL AND CORNEOMETRY STUDY*

Flávia Alvim Sant’Anna Addor, Sérgio Schalka, Vanessa Melo Cardoso Pereira, Bruno Brandão Folino

Resumo: Objetivo: Avaliar a correlação entre as diferentes concentrações e o efeito hidratante da ureia. Material e Método: Cada indivíduo recebeu aplicações de emulsões com 3%, 5% e 10% de ureia e uma emulsão controle. Realizaram-se avaliações clínicas, subjetivas e corneométricas em 1, 4 e 6 horas. Resultados: Todas as emulsões, incluindo a do controle, obtiveram efeito hidratante na primeira avaliação (p < 0,05). A ureia a 10% foi signifi cativamente superior às outras concentrações – na avaliação de 4 horas comparada à ureia a 3% e na avaliação de 6 horas, às concentrações de 3 e 5%. Formigamento e ardência foram mencionados para a ureia a 10% na avaliação de 1 hora. Conclusão: A duração das propriedades higroscópicas da ureia está positivamente relacionada com a concentração. Sintomas adversos, como ardência, foram observados apenas em maiores concentrações.


Palavras-Chave: URÉIA, PELE SECA, BARREIRA CUTÂNEA, CAPACITÂNCIA CUTÂNEA

Novas Técnicas

Preenchimento do sulco nasojugal e da depressão infraorbital lateral com microcânula 30G

Filling of the nasojugal fold and the lateral infraorbital depression with a 30G microcannula

André Vieira Braz, Bruno Olavarria Aquino

Resumo: As técnicas de preenchimento do sulco nasojugal com ácido hialurônico são amplamente discutidas pelos dermatologistas, cirurgiões plásticos e oftalmologistas, inexistindo, entretanto, consenso a esse respeito nas recentes revisões bibliográficas. Pelo fato de o sulco nasojugal localizar-se em topografia de pele delgada, próxima ao globo ocular, e ser em região muito vascularizada, a aplicação de ácido hialurônico com agulhas, pode trazer complicações indesejáveis como: injeção intravascular, equimoses e hematomas. Assim, desenvolvemos técnica inovadora de preenchimento com ácido hialurônico nessa área, em retroinjeção e com microcânula 30G, sempre após criteriosa avaliação do paciente.


Palavras-Chave: ÁCIDO HIALURÔNICO, STAPHYSAGRIA, REJUVENESCIMENTO

Relatos de casos

Reação nodular ao preenchedor e neuralgia do trigêmeo ipsilateral: acaso ou novo efeito colateral ao preenchedor permanente?

Nodular reaction to a cutaneous filling substance and ipsilateral trigeminal neuralgia: random occurrence or a new side effect of permanent fillers?

Violeta Duarte Tortelly Costa; Monica Jidid Mateus Tarazona; Tassiana Esposito Simão; Bruno Eduardo Nunes Moraes; Fabiano Gualtiero Portugal; Roberto Souto da Silva; João Carlos Fonseca

Resumo:

Relata-se caso de paciente do sexo feminino que recebeu preenchimento facial com polimetilmetacrilato e evoluiu com formação tardia de nódulo e neuralgia do trigêmeo ipsilateral. Questiona-se possível relação entre as duas morbidades, que poderiam ter desencadeantes comuns ou relação causal entre si.


Palavras-Chave: GRANULOMA; POLIMETILMETACRILATO; NEURALGIA DO TRIGÊMEO

Acometimento oral em portador de neurofibromatose tipo I

Oral involvement in a patient with neurofibromatosis type I

Alceu Luiz Camargo Villela Berbert; Adriano Mota Loyola; Sônia Antunes de Oliveira Mantese; Bruno César Dornela; Mabel Duarte Alves Gomides

Resumo: A neurofibromatose do tipo 1, também conhecida como neurofibromatose de von Recklinghausen, é doença autossômica dominante, que afeta 1:3000 recém- nascidos. Aproximadamente 50% dos pacientes de NF1 não apresentam história familiar da doença. Língua, rebordo alveolar da mucosa bucal, gengivas, lábios, palato, assoalho da boca e o espaço faringomaxilar podem ser acometidos por tumores em associação com NF1, sendo a língua o local mais comum. Relata-se o caso de paciente do sexo feminino, de 29 anos, apresentando neurofibroma na língua, ressaltando-se a possibilidade de manifestações da doença na cavidade oral e seus diagnósticos diferenciais.


Palavras-Chave: NEUROFIBROMATOSE 1, NEUROFIBROMA PLEXIFORME, NEUROFIBROMA, DOENÇAS DA LÍNGUA

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações