Sociedade Brasileira de Dermatolodia Surgical & Cosmetic Dermatology

GO TO

ISSN-e 1984-8773

Artigos
RelacionadosA consulta encontrou: 3 resultado(s)

Voltar ao artigo

 

Artigos Originais

Estudo histológico comparativo e controlado de fibras colágenas da pele humana após terapia celular com fibroblastos

Comparative histological controlled study of human skin collagen fibers after cell therapy with fibroblasts

Ariene Murari Soares de Pinho; Isis Sousa Oliveira Pereira; Marina Emiko Yagima Odo; Lilian Piñeiro Marcolin Eça

Resumo:

Introdução: Introdução: A derme é composta principalmente por matriz extracelular e fibroblastos,que produzem colágeno tipos I e III, e fibras elásticas. Objetivo: Através de estudo clínico prospectivo,comparativo e controlado verificar se há, na pele humana sadia, aumento na produção de fibras colágenas após a injeçãode fibroblastos autólogos na derme. Métodos: Foram colhidos dois fragmentos de pele, na região retroauricular direita de quatro mulheres com idade entre 25 e 60 anos. Em um dos fragmentos foi feita a análise histológica com hematoxilina-eosina e picrosirius, para qualificação e quantificaçao de fibras colágenas (grupo controle). O outro fragmento foi submetido, em laboratório, a uma digestão enzimática para extração e cultivo de fibroblastos. Após crescimento satisfatório (1 x 107 células/ml) os fibroblastos cultivados foram aplicados na região retroauricular esquerda das pacientes(grupo pesquisa). Três meses após foram colhidas biopsias dessa região e também coradas com hematoxilina-eosina e picrosirius para o estudo comparativo dos dois grupos. Resultados: O estudo estatístico do número de fibras colágenas nas três camadas da derme - superior, média e profunda - , comparativo entre os grupos-controle e pesquisa, mostrou que as médias e medianas observadas após a aplicação das células foram maiores do que as observadas antes da aplicação. Conclusão: A injeção de fibroblastos redunda em aumento na quantidade de fibras colágenas em todas as regiões da derme, sendo maior na região profunda


Palavras-Chave: FIBROBLASTOS; TERAPIA CELULAR; COLÁGENO

Cicatrizes hipertróficas e queloides: tratamento com cirurgia e infiltração de methotrexate - estudo-piloto

Hypertrophic scars and keloids: treatment with surgery and methotrexate injections: a pilot study

Tatiana Gandolfi de Oliveira; Rossana Cantanhede Farias de Vasconcelos; Lilian Mayumi Odo; Marina E.Y. Odo

Resumo: Introdução: Várias modalidades terapêuticas têm sido utilizadas para o tratamentos de queloides e cicatrizes hipertróficas. Objetivo: Tratamento de queloides e cicatrizes hipertróficas com excisão e injeção intralesional de methotrexate. Métodos: Neste estudo aberto de intervenção terapêutica 11 pacientes foram tratados. Exames laboratoriais e fotos foram realizados antes, durante e após tratamento. Após a excisão das lesões, a sutura foi infiltrada com methotrexate a partir do sétimo dia, semanalmente, durante seis meses. A dose semanal foi de 2,5mg/10cm de sutura, e a dose máxima de 5mg por indivíduo. A avaliação foi feita pelo médico e pelo paciente. Resultados: Seis meses após o término do tratamento, não ocorreu recidiva da lesão em cinco casos, houve recidiva parcial em seis casos e nenhuma recidiva total. Não houve alteração dos exames laboratoriais. Conclusões: A dose máxima semanal de 5mg de methotrexate durante seis meses utilizada neste estudo-piloto para tratamento de queloides e cicatrizes hipertróficas é segura e dificulta a recidiva. São necessários mais estudos para complementar este trabalho.


Palavras-Chave: QUELOIDE; CICATRIZ HIPERTRÓFICA; TERAPÊUTICA; PELE.

Novas Técnicas

Técnica do anel para correção de cicatrizes inestéticas periauriculares

Ring technique for the correction of unaesthetic periauricular scars

Marina Emiko Yagima Odo, Lilian Mayumi Odo, Luiz Carlos Cucé

Resumo: As cicatrizes inestéticas alargadas ou hipertróficas periauriculares podem ser decorrentes da tensão sobre a sutura das incisões da ritidoplastia. Em estudo retrospectivo de cinco anos, 10 pacientes do sexo feminino portadoras de cicatrizes inestéticas foram tratadas com a técnica do anel periauricular. Utilizou-se o fio de politetrafluoretileno em seis casos e o de mononylon 2-0 duplo em quatro casos, introduzidos com agulha de fáscia lata sem bisel. Após a exerese da cicatriz, as bordas foram aproximadas, e o anel amarrado e fixado na fáscia do músculo temporal. O resultado foi satisfatório. Em dois casos os fios foram removidos sem alteração do resultado estético final das cicatrizes.


Palavras-Chave: CICATRIZ, CICATRIZ HIPERTRÓFICA, RITIDOPLASTIA, ORELHA


Facebook Twitter

© 2019 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações